Dois espaços

Como ter animal de estimação e deixar jardim bonito

Para disfarçar os muros altos e deixar o jardim de 1.000 m² mais atraente para as cinco cachorras da família, o paisagista Gilberto Elkis plantou uma série de bambus. A espécie produz sombra e cria uma alameda junto dos maciços de areca-bambu e das frutíferas. Em vez de grama, o profissional optou por pisadas de ardósia alternadas por pedriscos, que resistem melhor aos passeios constantes dos animais.

Os moradores queriam dar uma cara de quintal à varanda de 20 m². Para isso, a paisagista Gigi Botelho investiu no uso de madeira rústica, que deixa o ambiente mais aconchegante. O material reveste caixas de aço galvanizado recheadas com lavanda, grama-amendoim e jasmim-de-madagascar, que protege os moradores de olhares vizinhos.

A poodle Pietra também ganhou atenção especial: uma caixa de madeira de 35 cm de altura com grama que funciona como banheiro canino. A solução não deixa odor no espaço, graças à torneira que rega o local quando necessário.

O quintal de 50 m² desta casa passou por uma boa reformulação para agradar o gato persa Bartolomeu. Como gatos adoram escalar, as paisagistas Claudia Diamant e Marina Domingues incluíram um deque elevado recheado com quatro exemplares de palmeira-real e forração de dólar.

Logo acima, caixas de aço galvanizado protegem maciços de moreia, dificultando o acesso à espécie: uma boa estratégia para conter os ânimos do gato. No patamar inferior, a folhagem estriada da alpínia variegada virou o esconderijo de Bartolomeu.

Mesmo morando em apartamento, o west highland white terrier Billy pode se dar ao luxo de brincar na grama. Com projeto elaborado pela paisagista Ivani Kubo, a varanda de 32 m² ganhou uma contenção de cruzetas de 3 x 0,75 m. Dentro dela, Ivani colocou uma camada de argila, outra de manta geotêxtil para drenagem, depois terra e grama-são-carlos. O restante do espaço foi preenchido com pedriscos e ganhou vasos e um banco para os moradores relaxarem.

COMPARTILHE