Normcore, moda criada em 2009, volta com estilo

Eduardo Vilas Bôas

Vestir-se de forma simples, objetiva e despretensiosa é um tema que tem sido discutido há tempos na moda. Enquanto os fashionistas se debatem ao verem looks quase monocromáticos, sem estampa e com pouca variação de modelagem, uma enorme geração de jovens parece estar cansada do dinamismo louco da moda e clamam por menos!

Estou falando do estilo normcore, um neologismo criado em 2009 a partir da junção de normal + core (do inglês, centro), isto é, o centro do normal. Um termo que tem designado um público que preza pelo conforto e invisibilidade estética, um público que conhece as referências de moda mas prefere um look minimalista. Afinal, o pensamento chave é: quem deve chegar primeiro é você e não sua roupa.

O normcore é consequência concreta de uma nova era menos consumista (design atemporal), mais consciente (slow fashion) e mais focada no ser (design como forma de expressão). Participei dias atrás de um importante seminário de tendências, o Senac Moda Informação 2017 1ª edição, que apontou o normcore como uma das possibilidades a serem consumidas nas estações desse ano, sobretudo quando os produtos refletem um desejo agênero, urbano, utilitarista, esportivo e futurista.

Muitas marcas já investem nesse segmento, seja com linhas específicas ou através de todo seu mix de produtos, como é o caso da Saint Studio. Essa marca, aliás, foi fundada em 2012 por Cauê Nunes e, após forte crescimento no e-commerce, abriu sua primeira loja física própria esse ano, transitando entre moda e as expressões artísticas, buscando formas de se conectar de maneira mais intimista e menos complexa com seus consumidores.

Você não gosta do estilo normcore? Relaxa porque a moda nunca foi tão democrática!

COMPARTILHE