Sotaque russo

Novo Corolla é um velho conservador com lado esnobe

Bartô Granja, Edição

Nada se cria. Tudo se copia. Faltam poucos dias para que o ditado seja mais confirmado. Ele antecipa o lançamento da reestilização do Toyota Corolla no Brasil: nosso carro vai receber o mesmo visual do modelo vendido na Rússia desde meados do ano passado. Antes de chegar, porém, a renovação já é zoada nas redes sociais.

Autora da brincadeira, a Pony Veículos diz nesse post no seu perfil de Facebook que o visual mais agressivo do Corolla lembra “um senhor de idade usando óculos Oakley de ciclismo”. É uma alusão ao novo estilo do carro, com grade integrada ao conjunto óptico, lentes dos faróis alongadas (há possibilidade de uso de LED contínuo na iluminação) e para-choque com nichos laterais em formato esportivo.

A piada segue explorando o perfil totalmente conservador do Corolla e também o apelido dado pelos detratores do modelo, “carro de vovô” ou “Vovôrolla”, ao comentar as mudanças estéticas e dá uma cutucada na Toyota, que até hoje não dota o sedã médio de itens que já são padrão entre rivais há um bom tempo, como controles de estabilidade e tração: “Muito estilo (controverso) para buscar os netos na escola. A expectativa é que ele finalmente receba o famoso ESP (controle de estabilidade) …”.

Sediada em Goiânia, a Pony Veículos é uma loja de carros usados que se tornou conhecida nas redes, no final de 2016, justamente por tirar barato dos modelos que vende, quando é praxe no segmento destacar qualidades e esconder defeitos. UOL Carros conversou com em janeiro com o gerente da loja e do perfil no Facebook, que garantiu que a estratégia do bom humor dá resultado em termos de visibilidade.

Apesar de ainda ser segredo guardado fortemente pela Toyota, as alterações do Corolla devem mexer pouco com a mecânica atual do modelo. De fato, espera-se a tardia adoção de ESP, LEDs mais eficientes em faróis e lanternas e até de tecnologias de conectividade no interior do veículo.

Motorização e câmbio, porém, devem seguir intocados: opções 1.8 flex com 144 cavalos e 18,6 kgfm, bem como o 2.0 flex de 153 cavalos e 20,7 kgfm (valores máximos com etanol), sempre com caixa do tipo CVT (relação continuamente variável) com simulação de sete marchas.

Preços devem sofrer pequeno reajuste, mas que contribui com a fama de careiro do modelo: espera-se que a versão XEI salte dos atuais R$ 96.990 para R$ 100 mil, enquanto a topo de gama Altis ultrapasse a marca dos R$ 115 mil (atualmente custa R$ 112 mil). Completam a linha atual as versões 1.8 GLI (R$ 88.940) e Dynamic (R$ 101.990).

Apesar do preço elevado e das brincadeiras em redes e rodas de conversa, o Corolla é o modelo mais vendido do segmento, de modo consolidado, por anos a fio. Atualmente, o carro detém 40% das vendas de sedãs médios no Brasil, tendo como segundo colocado (e distante) o Civic, com 24%.

COMPARTILHE