Feriadão

Pacote para quem viaja sozinho ganha espaço nas agências

Foto/Arquivo Notibras

Nair Assad, Edição

Com tantos feriadões acontecendo, o mercado do turismo está se adaptando a um novo perfil de viajantes, solteiros, pessoas com mais de 60 anos e mulheres que viajam sozinhas, com preços menores e boa companhia.

Quem viaja sozinho e reserva um pacote de viagem ou resort precisa pagar uma diária individual, que é o dobro do preço cobrado para quem está acompanhado. O solteiro é cobrado por um valor mais alto, que é chamado de acréscimo para solteiros.

Esse acréscimo é às vezes mais de 50 por cento, porque foi criado para compensar a receita que poderia ter sido gerada por um segundo viajante.

Algumas agências de viagem atualmente são administradas por pessoas que já sentiram na própria pele as necessidades das pessoas que viajam sozinhas. Os solteiros viajam para fazer novas amizades, terem novas experiências, mas pagam mais caro sozinhos do que aqueles que viajam acompanhados.

As viagens ou pacotes especiais para solteiros oferecem preços sem custo adicional ou com custo adicional mais baixo para viajantes sozinhos. Além disso, existem opções de compartilhamento confiável, em que você concorda em compartilhar com um companheiro de quarto, geralmente do mesmo sexo e da mesma preferência quanto a ser ou não fumante.

Em contrapartida, você recebe o desconto no preço e não tem nenhuma taxa de “single”. Se a agência de turismo ou operadora de viagens não for capaz de encontrar um companheiro de quarto adequado para você, o preço continuará sendo o de diária compartilhada, sem acréscimo de “single” ou com um acréscimo reduzido.

Para atender a uma clkiente sempre crescente, agências trabalham com a integração de viajantes solteiros, de qualquer idade, facilitando a conversa e as amizades, com segurança e oferecendo roteiros interessantes.

A verdade – felizmente -, é que algumas operadoras de turismo estão reconhecendo que muitos “seniors”, ou pessoas com mais de 60 anos, viajam sozinhas e agora passaram a oferecer viagens que com condições mais vantajosas para esse público.

Há várias agências especializadas em viagens para solteiros de idade madura. As ofertas para quem está sozinho constumam ter três categorias: acima de 30 anos, acima dos 40 e acima dos 50 anos, bem como pacotes para solteiros de qualquer idade.

Diane Redfern, executiva do setor, afirma que o preço que é cobrado de um solteiro chega a ser ofensivo, para quem está recentemente separado. A indústria do turismo simplesmente espera que os solteiros se conformem em pagar mais.

Mas alguns consumidores estão começando a lutar para a uma nova categoria, a do viajante “solo”.

Segundo essa especialista em viagens para pessoas sozinhas, durante anos pelo menos 50% esses turistas estavam na faixa entre 30 a 50 anos e a outra metade com mais de 50. Mas isso agora está mudando. O percentual de mais velhos está aumentando, porque cada vez mais essas pessoas estão em condições de viajar.

Diane afirma que as opções disponíveis de viagens solo estão cada vez mais variadas. Existem roteiros sendo criados e não são apenas para lugares exóticos. Os motivos para viajar em pacotes exclusivos para solteiros variam, desde encontrar pessoas com a mesma visão de mundo ou principalmente para pagar menos, em um esquema compartilhado.

Ainda de acordo com agências de turtismo, mulheres sozinhas, com mais de 60 anos, estão viajando como nunca antes e adorando. Com tantas informações disponíveis, impressas e online, planejar férias sozinha está sendo mais fácil do que nunca.

COMPARTILHE