Paulinha, uma brasiliense que desbanca marmanjo

Nair Assad, Edição

Ela é uma graça de pessoa. E está mostrando ao mundo que Brazília (com z, como dizem os americanos), tem prata da casa capaz de fazer inveja a Francis Ford Coppola. O nome dela é Paula Ferro Neves, 23 anos, que estudou cinema da Universidade de Brasília e na New York Film Academy em Los Angeles, onde vive atualmente.

Desde 2016 Paulinha trabalha como editora e está com três trabalhos a todo vapor: o longa-metragem Dulcinea, com previsão de estreia para o final do ano; o documentário Scab Vendor, que conta com participações de grandes nomes como Iggy Pop, Jim Jarmusch e Robbie Williams; e o curta metragem True Colors, que escreveu e dirigiu, está sendo produzido pela empresa Lamaraca, onde trabalha como Creative Editor.

Com pouca idade, mas um vasto currículo, ainda como aluna da UnB, atuou na Empresa Junior Pupila Audiovisual, na Universidade de Brasília, como membro da área de Criação e depois como Vice-Presidente, onde vivenciou a produção de diversos vídeos informativos e curtas metragens. Paula permaneceu na Pupila durante 2 anos, e imediatamente depois passou a trabalhar na Escola de Cinema de Brasília e produtora Instituto de Cinema como Editora e Produtora.

Já na New York Film Academy (NYFA) de Los Angeles, durante o ano de 2015 teve a oportunidade de cursar One-Year Conservatory Filmmaking, onde aprimorou seus conhecimentos, trabalhou com pessoas de grande nome como o produtor Craig Williams, os atores Bill Duke e Paul Johanson, e teve professores de destaque como Kimberly Ogletree e Anthony B. Richmond.

O curso feito em 2015 consistia em uma excessiva carga horária, inúmeras aulas práticas e mais de 30 curtas-metragens produzidos, alguns sendo filmados no estúdio da Universal.Enquanto aluna da NYFA, Paula participou do Industry Lab e do Women”s Club, grupos coordenados por professores que realizavam projetos para clientes reais com a ajuda dos alunos e ex-alunos.

Foi nesta época que Paula iniciou sua jornada na indústria. Também participou de eventos como Women”s Image Awards, BSTEM Competition e Women in Entertainment. Depois de um ano estudando, se formou em Filmmaking com o filme-tese de graduação “Pumpkin”, que foi financiado com a ajuda de família e amigos e pela plataforma de crowdfunding IndieGogo e conta a história de uma amizade a distância entre Alice e Dan.

Os amigos, além de ter que enfrentar a distância entre eles, agora têm que superar um câncer recém- diagnosticado. Com o orçamento de 6 mil dólares, o filme feito em Novembro de 2015 consistia em um equipe cheia de brasileiros. Além da diretora, roteirista e editora Paula Neves, participaram também como assistente de direção a brasileira Mariana Thomé; o diretor de fotografia, Ernesto Plestch, as produtoras Juliana Biondi e Jessica DiSerio. A equipe de arte foi composta por Helena Sardinha e Julia Seabra.

Apesar de ser um filme estudantil, “Pumpkin” conquistou muitos prêmios. A sua primeira exibição aconteceu no Festival de Cannes em Março de 2016, na seleção do Cannes Short Film Corner. Depois da premiere, Pumpkin recebeu prêmios de Melhor Curta-Metragem de Drama (Best Short) nos festivais Best Shorts Competition, Women”s Only Entertainment Film Festival, Hollywood International Moving Picture Film Festival e foi Semifinalista no Los Angeles CineFest. Além dos prêmios que o filme recebeu, Paula foi premiada como Melhor Direção pelo Largo Film Festival, e Melhor Edição pelo Women”s Only Entertainment Film Festival por seu Filme Pumpkin e pelo filme Quartet, dirigido por Helena Sardinha.

COMPARTILHE