Veja dicas para se conhecer e se respeitar sempre

Sara Abdo

Se você trabalha a semana inteira pensando em ser feliz só quando o final da semana chegar, aproveite o dia 20 de março, Dia Internacional da Felicidade, para repensar o jeito que vive sua vida. Embora seja natural a associação que se faz entre sucesso profissional e realização pessoal e familiar, o conceito de felicidade pode e deve ser mais amplo.

Como ser feliz sete dias por semana, no trabalho e nas férias? Conversamos com especialistas e listamos algumas sugestões para você fazer no dia a dia. Lembre-se: ser feliz não é estar contente sempre.

1) Coloque o seu propósito de vida no seu dia a dia
O que você quer fazer para as pessoas mais próximas de você ou para o mundo? É possível alinhar ou adaptar esse propósito ao que você faz no trabalho? Se sim, sua vida pode melhor, e muito.

2) Busque a consciência de si próprio
Em muitos casos as pessoas não são felizes porque se conhecem pouco e, por isso, não sabem o que as deixaria melhor. O que você gosta? O que você não gosta? O que te cansa? Com que frequência você acessa o que te descansa? Técnicas de respiração, atenção e meditação vão contribuir muito para um autoestudo e autoconhecimento sobre o corpo, emoções e organização das ideias.

3) Observe como você se comporta consigo mesmo e com os outros
Muitas vezes o ambiente de trabalho está ruim mesmo, mas se você sorrir mais e tentar interagir de outra forma, seu dia a dia pode melhorar. No entanto, esteja atento: às vezes você é sorridente e espontâneo, mas os colegas de trabalho são sisudos. Antonio Prates, especialista em desenvolvimento pessoal e criador do canal Vida com Método, recomenda que se observe o ambiente e reconheça quando o problema não for você. Talvez seja melhorar procurar outro trabalho.

4) Seja grato a três fatos que lhe ocorreram hoje
Comece a observar seu dia e reconheça o que de bom aconteceu: uma reunião que começou na hora, um chefe que não reclamou do trabalho ou o almoço, que hoje estava melhor que de costume. Gislene Isquierdo, psicóloga especializada em destravar emocionalmente as pessoas, adianta que a escrita de três bons fatos nos mostra alegrias e diminui a ansiedade “para que algo bom aconteça”.

5) Pare de adiar e terceirizar a felicidade
Só você pode saber como ser feliz, então ninguém mais pode dar a você a sua felicidade – nem seu chefe, nem seu companheiro, nem seus filhos e nem um diploma. Não é uma promoção no trabalho que vai te mostrar o caminho para a felicidade.

6) Preste atenção nas palavras
Evite substituir o “e”, que sugere uma ideia positiva, por “mas”, de conotação negativa. Em vez de difícil, experimente usar o termo desafiador.

7) Equilibre presente e futuro
Tente não focar só no que vive aqui e agora, e não deixe de lado seus planos e metas. No entanto, cuidado para não viver só no futuro. Ninguém alcançará o futuro se não viver o presente.

8) Já pensou em fazer trabalho voluntário?
Muitas vezes relacionado a uma ação em direção ao outro, na verdade o trabalho voluntário é um tempo que você tem para você mesmo. É uma ação consequência de uma vontade e uma expectativa sua, um propósito seu. O resultado pode até ter efeitos sobre outra pessoa, mas tudo é despertado por você. Confira algumas vagas de trabalho voluntário, presencial ou não, no Atados. Conheça mais ONGs.

9) Sugestão de filme
Para compreender que as evoluções acontecem de pouco a pouco e que todo mundo consegue superar os medos e traumas, a psicóloga Gislene recomenda o filme Procurando Nemo (2003). Na história, há uma grande transformação dos personagens, que mudam consigo próprias, apenas. O corpo não muda de cor e nem de forma, e o ambiente continua o mesmo: o mar.