Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Judeus atacam Gaza por terra e ar e provocam genocídio palestino

Publicado

Foto/Imagem:


Os judeus estão atacando os palestinos por terra e ar. Os mortos passam de 50 nas últimas 24 horas. A tensão cresce na região e a guerra pode se alastrar. Aliados da Palestina prometem não ficar de braços cruzados.

O presidente palestino, Mahmud Abbas, acusou Israel de estar cometendo um genocídio em Gaza com esta operação militar.

“É um genocídio; matar famílias inteiras é um genocídio realizado por Israel contra nosso povo”, afirmou Abbas em uma reunião de crise com a direção palestina na cidade de Ramallah, Cisjordânia.

O quadro que se viu nesta quarta-feira é de lamentos. Sob um calor abrasador, centenas de pessoas participaram em Beit Hanun, no norte da Faixa de Gaza, dos funerais de seis membros de uma mesma família mortos em um ataque da aviação israelense.

Uma multidão, composta basicamente por homens, esperou em silêncio diante da mesquita que fica próxima à casa da família Hammad, pulverizada pelas bombas.

Alguns tentavam ver os corpos, enquanto outros se concentravam na recitação das orações.

O míssil destruiu a casa antes da meia-noite local, quando o pai da família, Hafez Hammad, um alto dirigente da Jihad Islâmica, voltava da rua, segundo testemunho de vários vizinhos.

Hafez morreu junto com cinco familiares, entre eles duas mulheres e uma adolescente de 16 anos.

“Era uma família inteira, gente muito respeitada aqui. Agora só resta o avó e um dos filhos”, conta Mohamed Hammad, de 21 anos.

Quando os corpos, colocados em macas, deixam a mesquita, preenchendo o ar com o perfume utilizado no ritual funerário local, alguns homens os saúdam disparando para o alto.

Um dos corpos está envolto na bandeira palestina. Todos são colocados em uma caminhonete aberta, onde as crianças do bairro se acotovelam para poder dar uma olhada, mesmo que rápida.

As pessoas agitam bandeiras de várias facções palestinas: a verde do Hamas, a negra da Jihad Islâmica e a amarela do Fatah.

Lentamente, o cortejo avança para o cemitério, situado a poucos quilômetros, enquanto que por um alto-falante se cantam os méritos dos falecidos.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade