Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Justiça pernambucana condena acusados de jogar vaso sanitário em torcedores



Responsáveis por jogar dois vasos sanitários de uma arquibancada do Estádio Arruda, no Recife, em maio do ano passado, que provocou a morte de Paulo Ricardo Gomes da Silva, de 26 anos, e feriu três pessoas, Everton Felipe Santiago Santana, Luiz Cabral de Araújo Neto e Waldir Pessoa Firmo Júnior foram condenados por homicídio doloso duplamente qualificado (motivo fútil e sem chance de defesa da vítima) e três tentativas de homicídio, em julgamento realizado ontem à noite (2), na 2ª Vara do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Após mais de 12 horas de julgamento no Fórum Rodolfo Aureliano, no centro da capital pernambucana, o tribunal do júri optou pela condenação dos três, em regime fechado. O juiz Jorge Luiz dos Santos Henriques decretou penas de 28 anos e nove meses para Everton Felipe; 25 anos, sete meses e 15 dias para Luiz Cabral; e 22 anos e seis meses para Waldir Pessoa.

O crime ocorreu no dia 2 de maio do ano passado, praticamente um mês antes da Copa do Mundo 2014, após a partida entre Santa Cruz e Paraná, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Presos pela polícia dias depois do crime, os três confessaram que arrancaram dois vasos sanitários de banheiros do estádio e os arremessaram de uma altura de 24 metros, na rua ao lado do Estádio Arruda.

Durante o julgamento, os advogados de defesa dos três réus tentaram desqualificar a tese de homicídio doloso – quando há intenção de matar – e tentativa de homicídio, para homicídio culposo e lesão corporal. O juri, no entanto, concordou com a tese da promotoria, de que os três tiveram a intenção de atingir as pessoas que deixavam o estádio ao carregar os vasos sanitários por cerca de 100 metros antes de arremessá-los.

Ivan Richard, ABr

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente