Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Quase bicampeão

Verstappen faz a festa em casa e dispara na ponta da Fórmula 1

Publicado

Foto/Imagem:
Antônio Albuquerque, Edição - Foto Divulgaçao/FIA

Deu a lógica no GP da Holanda de Fórmula 1. O dono da festa foi Max Verstappen, que comemorou ao lado da torcida com mais uma vitória nas pistas e ampliando a vantagem como líder na disputa pelo título de campeão 2022 da categoria mais rápida do automobilismo. O piloto da Red Bull dominou de ponta a ponta em sua quarta corrida consecutiva, a 30ª vitória da e o 10º triunfo na temporada. George Russel, da Mercedes terminou em segundo enquanto Charles Leclerc colocou a Ferrari no terceiro lugar.

A vantagem do holandês aumentou ainda mais na liderança. Verstappen soma agora 310 pontos contra 201 de Leclerc e Sergio Pérez companheiro do atual campeão na Red Bull), que vêm empatados. Na festa da vitória, o patriotismo entrou em cena quando o piloto holandês pegou uma bandeira de seu país e colocou nas costas. Ele repetiu o feito do ano passado, quando correu em casa e também cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.

“Estou muito feliz com o resultado; e não poderia deixar de estar. Foi uma corrida de muitas estratégias. No final teve o Safety Car, eu estava em segundo e tive que ir para cima do Hamilton. Mas deu tudo certo”, disse. A próxima corrida da Fórmula 1 acontece daqui a uma semana, e será disputada na Espanha.

Charles Leclerc tentou pular na frente logo na largada, mas Verstappen defendeu a posição e conseguiu manter o primeiro posto no circuito. A prova teve um início bastante disputado. Sainz (Ferrari) e Hamilton (Mercedes) chegaram a se tocar na pista, mas os dois seguiram na prova sem problemas. Enquanto isso, buscando imprimir um ritmo forte, o piloto holandês pisou fundo já buscando abrir vantagem na liderança.

As paradas nos boxes para a troca dos pneus começaram a mudar o panorama da corrida. Sainz, que fez o seu primeiro pit stop, teve problemas na parada e complicou o seu desempenho. Russel chegou a liderar a prova em função dessas paradas, mas sofreu a investida de Verstappen, que voltou a comandar a corrida. Na metade da disputa, quando todos os pilotos já tinham feito uma parada, o holandês tinha oito segundo de vantagem para a Ferrari de Leclerc.

Com o primeiro lugar sob controle, a brigai mais acirrada foi pela terceira colocação. Hamilton botou pressão e conseguiu ultrapassar o mexicano Sérgio Perez, colocando a Mercedes provisoriamente no pódio. A escuderia, aliás, surpreendeu também com George Russel. Com bom desempenho nas curvas, ele obteve a quarta colocação e ficou atrás do heptacampeão.

A boa vantagem adquirida para o segundo colocado rendeu a Verstappen uma segunda troca sem riscos de perder a ponta. O piloto holandês colocou compostos duros em e voltou para ditar o ritmo da prova na liderança com 12 segundos de vantagem. Leclerc foi para a segunda troca no giro 46 e no retorno à pista ficou com a quarta colocação com as duas Mercedes ocupando o segundo e o terceiro postos.

Na parte final da prova, a bandeira amarela foi acionada com Valtteri Botas parado na pista. Verstappen, que acabara de trocar os pneus ficou na segunda colocação com a entrada do Safety Car. Nesta nova ordem, Hamilton ficou na ponta para a relargada na volta 60. No entanto, a lógica logo entrou em cena quando a corrida foi retomada. O holandês reassumiu a liderança para o delírio dos torcedores que estavam nas arquibancadas.

No final da prova, Russel foi mais agressivo e conseguiu o segundo lugar. Hamilton, que passou a sofrer pressão de Leclerc, acabou sendo novamente ultrapassado caindo para o quarto lugar. Verstappen controlou a corrida, cruzou a linha de chegada em primeiro e fez a festa com a torcida.

Publicidade
Publicidade