Curta nossa página


Almas gentis

Agora com nome, Duque saúda melhores amigos e pede socorro

Publicado

Autor/Imagem:
Duque Andrade* - Foto Reprodução

Eu sou o Duque, mas há uma quinzena eu era apenas um ser sem nome, ferido e faminto. Abandonado, meu corpo frágil repousava à margem de um asfalto abrasador, incapaz de caminhar, enquanto larvas vorazes devoravam minhas feridas, marcas de uma castração malsucedida.

Naquele recanto desolado, minha única guarida era a sombra tímida de uma parada de ônibus. Lá, a esperança se esvaía, e minha debilidade me mantinha cativo, refém de um corpo doente, magro e infectado, sedento e faminto de uma maneira que nenhum ser deveria padecer.

Confesso, em meio à desolação, acreditava que o alívio seria a morte, que teimava em tardar. No entanto, o destino urdia outros desígnios para mim. Foi então, de longe, que ouvi o murmúrio de um veículo, e, com as últimas forças exauridas, movi a única parte do meu ser que respondia aos comandos. Ergui, com delicadeza, a minha cabeça, ansiando por ser notado. E fui! A partir desse instante, o curso do meu destino se transmudou.

A Carol surgiu em meu caminho, agora a narradora da minha história. Ela, com ternura, escolheu meu nome e, mais que isso, optou por ser a guardiã dos meus dias. Contudo, ela precisa de auxílio para custear meu tratamento. Embora eu mal compreenda a moeda dos homens, percebo que o zelo médico é dispendioso.

Há dez luas, estou internado, submetido a exames de todas as sortes. Encontro-me enclausurado por uma infecção, combatida com antibióticos intravenosos. No entanto, ainda almejo cuidados, pois feridas abertas clamam pela carícia da ozonioterapia, e minha jornada de recuperação demanda a fisioterapia, ansiando por fortalecer o corpo e resgatar os movimentos perdidos.

Ao encontrar o olhar benevolente da Carol, ouvi promessas de dias melhores, e decidi encarar a batalha, alimentando-me com fervor e já vislumbrando um respiro de alívio. Assim, ergo este apelo a corações iluminados, em busca da colaboração que pode tecer meu futuro de vida, para que a esperança, em sua generosidade, floresça.

Que cada doação, por menor que seja, se converta em sementes de esperança, para que juntos possamos escrever o capítulo seguinte desta história repleta de vida e amor.

Chave pix (E-mail): enviarparacarolina@gmail.com

*Melhor amigo do homem, sou Canis lupus familiaris, sub-espécie dos lobos 

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2023 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.