Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Aprendendo cedo

Alunos da rede pública recebem aula de gastronomia

Publicado

Foto/Imagem:
Ian Ferraz/Cia Agência Brasília - Foto Divulgação

Forte elemento de identificação cultural, a gastronomia é o ponto central de uma oficina disponível aos alunos da rede pública de ensino do Distrito Federal. Até 12 de novembro, o Festival Chef Mirim vai capacitar estudantes sobre o manejo de instrumentos de cozinha, técnicas e conhecimentos específicos sobre alimentos.

Podem participar alunos de 10 a 14 anos, que vão ter direito a aulas de quatro horas para uma verdadeira imersão no mundo da gastronomia. São 12 vagas para alunos divididos em seis turmas. O projeto ocorre sempre aos sábados, das 9h às 13h, no Instituto Gourmet Asa Sul (507 Sul, Bloco C – entrada pela W2 Sul). As inscrições das oficinas devem ser feitas pelo site do festival.

Cada aluno receberá um manual de receitas com instruções e orientações sobre o manejo dos instrumentos de cozinha, técnicas de cocção e de cortes de alimentos, tudo isso com contextualização dos saberes gastronômicos das receitas produzidas na oficina. Eles também receberão certificado de participação, e, para cada aluno e responsável, será oferecida ajuda de custo, com vale-transporte ida e volta para o deslocamento casa-oficina. Para participar, é obrigatório comprovar a matrícula na rede pública de ensino.

Uma das oficinas de gastronomia saudável foi realizada nesse sábado (22), com a chefe Inaiá Sant’Ana. Cerca de dez crianças aprenderam a fazer caldo de abóbora, omelete de rúcula com tomate e bolo de chocolate sem glúten.

Saberes gastronômicos
“O festival valoriza o nosso patrimônio cultural imaterial dos saberes gastronômicos e incentiva a profissionalização dessas crianças, ensinando-as a consumirem alimentos saudáveis, estimulando a pesquisa de como os alimentos chegam à nossa mesa e quais as origens das comidas típicas”, pontua o idealizador da oficina, Henrique Cavalcanti.

Segundo Cavalcanti, o projeto contribui para a educação dos alunos e para ampliação do repertório cultural, além de ajudar no fortalecimento da autonomia. “Também promovemos o trabalho coletivo e individual e qualificamos crianças de forma interativa, participativa e inclusiva para, futuramente, ingressarem no ramo gastronômico”, acrescenta Cavalcanti.

O Festival Chef Mirim conta também com acessibilidade social, ofertando em cada oficina duas vagas para pessoas com deficiência (PcDs) e incluindo em cada aula dois intérpretes de libras e monitores para auxiliar os alunos. Participam os chefs e nutricionistas Flávia Nascimento, Isabela Diniz, Inaiá Sant’Ana, Bruna Parente, Roseli Zerbinato e Henrique Cavalcanti.

Publicidade
Publicidade