Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Dia 14

Amneres lança Mari(n)timo no Beirute, poesia de bordo

Publicado

Foto/Imagem:
Malu Oliveira, Edição/Foto Divulgação

Na quarta-feira, 14, a escritora Amneres Santiago lança seu novo livro de poemas – MARÍ(N)TIMO – Poesia de Bordo, o 12º de sua carreira. Segundo a autora, trata-se de um mergulho na trajetória do homem em sua viagem existencial pelo Planeta.

O livro é dividido em duas partes. A primeira traz um poema épico, sob o título Apocalipse Nau, composto por um prólogo, 21 cantos e um epílogo, todo construído durante a pandemia de Covid-19, nos anos de 2020 e 2021.

Na segunda parte, intitulada Poesia de Bordo, Amneres apresenta sua produção poética dos últimos sete anos, refletida em 54 poemas selecionados.

Na definição de Amneres, MARÍ(N)TIMO é “a metáfora de uma jornada e o homem é o passageiro dessa nau da existência, que vai do nascimento à morte, ou como acredita a autora, “à transcendência, quando tem início uma nova jornada rumo às estrelas”.

Esse é o terceiro livro da Editora Dois Eixos, dirigida por Amneres, em parceria com a Tagore Editora. O primeiro, publicado em 2021 e editado pela autora, foi Carlos Sant’Anna – A Vida é Processo e Destino, uma “autobiografia póstuma”, na definição da escritora, sobre a vida do ex-parlamentar e ex-ministro da Educação e da Saúde, que teve participação fundamental no processo de redemocratização do Brasil e na Assembleia Nacional Constitutinte que aprovou a atual Constituição brasileira.

O segundo livro foi o Roteiro Geopoético de Brasília – Um Guia Turístico para (Re)conhecer a Cidade Modernista, também publicado em novembro de 2021, no Museu de Arte de Brasília.

O livro traz uma série de roteiros turísticos diferenciados da capital do país, recuperando a história da construção da cidade, seus heróis e seus mitos de fundação. A base do roteiro é o projeto do urbanista Lúcio Costa que, em 1957, ganhou o concurso para a construção do Plano Piloto de Brasília.

São cinco percursos que elegem a caminhada como forma de levar viajantes e habitantes a desenvolverem um olhar geopoético sobre a cidade. Na visão da autora, “a viagem faz parte da história do homem no planeta. E o viajante, na atualidade, é compreendido como aquele que parte em busca de uma poética da geografia ou geopoética”.

Amneres se autodenomina candanga e mudou-se para Brasília em 1979. Aos 18 anos, a escritora paraibana deixou João Pessoa e seu paraíso particular – a bucólica praia do Cabo Branco – para viver na capital da República, cidade que transformou sua visão de mundo, incorporando-se definitivamente a sua veia poética.

Pela Universidade de Brasília, a autora é graduada em Letras e em Jornalismo; além de Mestra em Turismo. Tem mais onze livros publicados, entre poemas e crônicas, e participou de diversos movimentos literários de Brasília, entre eles, o OiPoema e o VivaArte.

Livros publicados
Além de Marí(n)timo, Amneres é autora dos seguintes livros: Pedro Penseiro (1980), EmQuatro (1985), Humaníssima Trindade (1993), Rubi (1997), Razão do Poema (2000), Entre Elas (2004), Eva-Poemas em Verso e Prosa (2007), Diário da Poesia em Combustão (2010), 50 Crônicas de Brasília (2012), Verbo e Carne (2015) e Roteiro Geopoético de Brasília (2021).

Publicidade
Publicidade