Curta nossa página


O aviso

‘Caças americanos destinados a Kiev vão virar pó’

Publicado

Autor/Imagem:
Svetiana Ekimenko/Via Sputniknews - Foto Reprodução

Os F-16 fabricados nos Estados Unidos estão no topo da lista de desejos de Kiev desde o início da crise na Ucrânia, mas os aviões de quarta geração “não têm utilidade em um campo de batalha moderno”, disse um veterano da Força Aérea dos EUA. Na falta de recursos furtivos, caças como o F-16 seriam “completamente superados em ambientes de alta ameaça”, esclareceu John Venable, um ex-piloto.

A defesa aérea avançada da Rússia, com seus sistemas de mísseis antiaéreos S-400 , superaria facilmente os sistemas de mira do F-16 , argumentou Venable. Além disso, os S-400 seriam capazes de atingir os caças bem antes de se posicionarem para disparar sua carga de cerca de oito SDBs (Small Diameter Bomb), acrescentou o pesquisador sênior de políticas de defesa do think-tank The Heritage Foundation.

“Dar à Ucrânia mais MiG-29s não ajudará o campo de batalha. E mesmo se dermos a eles F-16s modernos – eu diria F-16s mais modernos – isso não mudará ou influenciará o campo de batalha em um ano, muito menos no tempo para uma ofensiva de primavera “, disse ele, referindo-se à tão anunciada “contra-ofensiva” ucraniana.

O veterano dos EUA relembrou seus dias como piloto de F-16 nos anos 80 e 90, argumentando que, na época, seus jatos tinham uma chance de lutar contra os mísseis terra-ar SA-6 e SA-11 da era soviética ( SAM ), especialmente quando ele era apoiado por sistemas de mira HARM (High-speed Anti-Radiation Missile).

“Teria havido uma boa possibilidade de eu ter sido abatido, mas também pelo menos uma possibilidade igual de ter acertado o alvo”, disse Venable, apontando que desde então, houve o que ele referido como um “salto total em capacidades”.

“Eu tive uma chance de lutar naquela época; hoje, não há chance de lutar [para os F-16]”, acrescentou.

Outros analistas da aviação ocidental concordaram com essas avaliações dos F-16, dizendo que se Kiev os conseguisse, eles “podem não durar muito”. Foi apontado que os caças multifuncionais da General Dynamics precisam de bases aéreas e pistas de pouso especialmente preparadas – algo que falta na Ucrânia, com os aeródromos do país “muito curtos” e “austeros” para permitir o uso seguro de F-16 totalmente carregados.

Em janeiro, a vice-secretária de imprensa do Pentágono, Sabrina Singh, disse que os F-16 seriam “ outro sistema desafiador que exigiria treinamento ” para que os pilotos ucranianos pudessem se tornar proficientes o suficiente para usar os aviões em combate.

De qualquer forma, até agora a questão de enviar os F-16 americanos para o regime de Kiev está “fora da mesa”, com apenas os membros da OTAN, Polônia e Eslováquia, prometendo alguns MiG-29 mais antigos com os quais os pilotos e mecânicos ucranianos estão familiarizados. Falando a uma emissora americana em 24 de fevereiro de 2023, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky ” não precisa dos F-16 agora “, acrescentando que “não há base para que haja uma justificativa” para fazer isso.

Em 3 de maio, Yuriy Ignat, representante oficial da Força Aérea da Ucrânia, admitiu que os países ocidentais ainda estavam relutantes em entregar os F-16 a Kiev. Ele acrescentou que alguns estados membros da OTAN estão em uma lista de espera para obter esses caças americanos há anos.

A Rússia alertou repetidamente que a ajuda militar que os EUA e seus aliados continuam a fornecer a Kiev apenas prolonga o conflito ucraniano. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia enfatizou que os países da OTAN estão “brincando com fogo” ao fornecer armas a Kiev e que qualquer comboio de armas para a Ucrânia se tornará um alvo legítimo para as forças russas.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2024 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.