Curta nossa página


fim de semana

Capital celebra seus 63 anos em festa com juventude

Publicado

Autor/Imagem:
Pedro Lacerda/Via ABr - Foto Valter Campanato

Brasília completou 63 anos, nesta sexta-feira (21) com atrações para todas as idades e tribos. Pela manhã a professora Heloísa Vieira chegou cedo à Torre de TV para aproveitar o espetáculo infantil com os dois filhos, Arthur e Vinícius. Ela conta que quando ainda estava no caminho já estavam todos curtindo o clima de festa.

“A gente já veio cantando parabéns pra Brasília. E eu entro no clima pra que seja uma lembrança divertida do aniversário de Brasília”, afirma. Na Torre de TV, eles curtiram primeiro o show de mágica e, depois, o espetáculo A Bela Adormecida.

A qualidade das apresentações foi um dos pontos altos da festa, segundo Heloísa, mas o encontro de gerações de brasilienses é o que mais importa. “A gente encontra as pessoas de Brasília, as crianças de Brasília. E sempre que a gente lembrar desse momento, a gente vai falar: olha como foi legal aquele dia, como foi importante encontrar outras crianças da nossa cidade e ser feliz, se divertindo junto”.

A servidora pública Thais Leal também levou os dois filhos pequenos para curtir o espaço das crianças e elogiou a organização do evento. “Achei a estrutura muito boa, eles estão fazendo um rodízio de horário, então a gente não fica muito tempo esperando. As crianças estão curtindo muito”. Para o Pedro e o irmão João, a maior dificuldade foi escolher qual o melhor brinquedo do evento: escorrega inflável, pula-pula ou piscina de bolinha. Dúvida cruel para a criançada.

Memorial dos Povos Indígenas
No Memorial dos Povos Indígenas, a programação inclui oficinas, contação de histórias para crianças, bate-papos e feira de artesanato, reunindo a riqueza cultural de diversas etnias espalhadas pelo Brasil.

O indígena Mirim Ju Yan, da tribo Guarani, é um dos organizadores das atividades e explica que a ideia é passar para o público não só a materialidade da cultura indígena, com seus cocares, cerâmicas e cestos, mas também da cultura imaterial, ou seja, das histórias contadas através da oralidade.

Mirim Ju Yan explica que os contos são feitos tanto para crianças quanto para adultos, com uma linguagem acessível para os mais jovens, mas também com muitos ensinamentos para os adultos.

“São histórias tradicionais. Não é apenas a história, por exemplo, dos 500 anos pra cá. Durante nossos encontros, a gente fala sobre esse processo de colonização, nossas resistências. Mas nossas histórias são, principalmente, cosmogônicas e falam sobre a criação dos nossos povos, a partir da ótica dos indígenas. São histórias sobre a natureza, sobre os animais, sobre as estrelas, que trazem esse tempo místico e ancestral”, afirma.

Segundo o IBGE, no Brasil há mais de 1,6 milhão de indígenas, distribuídos em diferentes tribos, cada uma com sua forma de organização, sistemas de parentesco, religiões e mitologias, que faz com que as diversas nações indígenas se diferenciem entre si.

“A nossa consciência não é à toa, ela tem um fundamento. E está em prática a dezenas de milhares de anos. São sabedorias que formam uma consciência de como viver aqui na terra”.

Abril Indígena
A iniciativa do Abril Indígena vem sendo promovida por diferentes instituições pelo país, a fim de destacar os direitos dos povos originários e sua importância na formação da nossa sociedade. A data decorre do 19 de abril, celebrado em todo o continente desde o 1º Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México em 1940.

Comemoração
A celebração do aniversário da capital continua durante todo fim de semana. Para os adultos, a programação conta com eventos culturais e shows com grandes nomes da música brasileira. Entre as atrações principais estão Maiara e Maraisa, Joelma, Fundo de Quintal e a Orquestra do Teatro Nacional de Brasília.

Para a criançada, uma programação especial com a Cidade Kids, na Torre de TV, com brinquedos infláveis para as crianças e área pet friendly. Aberto durante todo o fim de semana, das 10h às 18h, o espaço conta com pintura de rosto, show de mágica com o Tio André, apresentação teatral da Companhia Neia e Nando, além de contação de história com a professora Nyedja Gennari.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2024 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.