Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Guerra de marcas

Coca demite empregados flagrados bebendo Pepsi

Publicado

Foto/Imagem:
Carolina Paiva, Edição - Foto de Arquivo

A Coca-Cola proíbe os trabalhadores de beber Pepsi. Na verdade, pode demiti-los por comprar tal bebida, de acordo com internautas que afirmam estar familiarizados com os regulamentos da empresa impostos aos funcionários. Muitos deles, flagrados consumindo o refrigerante concorrente, já perderam seus empregos.

“Ao ser contratado, você realmente assina um acordo declarando que não comprará ou consumirá produtos de nenhum concorrente ou o contrato será rescindido. Recebemos cartões mostrando as marcas mais comuns de propriedade dos concorrentes. Isso inclui comer em estabelecimentos que servem apenas produtos Pepsi. A maioria das pessoas também não percebem isso, mas isso inclui comprar e comer outros produtos alimentícios que também são de propriedade da Pepsi”, explicou um usuário que se autodenomina Mike Smith.

De acordo com Smith, a lista negra inclui qualquer marca de água engarrafada, suco de laranja e muitos outros produtos que não são de propriedade da Coca-Cola: “Quaker, Aunt Jemima Syrups, Cracker Jacks, Doritos, Lay’s, Munchies, Pasta Roni, Rice-a-roni, Santitas Chips, Sobe, Sunchips, Tostitos, Sabra e qualquer coisa Frito-Lay e muito, muito mais”, frisou.

Esta não é a primeira vez que os trabalhadores relatam regras draconianas na empresa. Anteriormente, ex-funcionários afirmaram que a Coca-Cola tem uma política de atendimento extremamente rígida e os funcionários estão proibidos de falar com a mídia.

No ano passado, uma reportagem do Toronto Sun também sugeriu que a Coca-Cola “acordou”, forçando muitos de seus funcionários a participar de um programa antirracismo onde foram instruídos a serem “menos brancos” e “romper com a solidariedade branca”.

Publicidade
Publicidade