Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Armas nucleares

Coreia apressar super reator com capacidade 10 vezes maior

Publicado

Foto/Imagem:
Bartô Granja, Edição - Foto Divulgação

A Coreia do Norte intensificou recentemente seu programa de defesa, tendo realizado 16 lançamentos de mísseis de teste só este ano, alguns dos quais são capazes de transportar uma arma nuclear. O programa nuclear de Pyongyang é motivo de séria preocupação para seu vizinho do sul, Seul, além dos Estados unidos, que também estão aumentando sua presença militar na região.

Se o projeto da Coreia do Norte for concluído, seria capaz de aumentar sua capacidade de produzir plutônio para armas nucleares, informou a CNN na sexta-feira, citando novas imagens de satélite.

De acordo com a reportagem, especialistas do Instituto Middlebury de Estudos Internacionais indicaram que a Coreia do Norte reiniciou a construção do segundo reator em sua usina nuclear de Yongbyon após vários anos de inatividade. O grupo revisou as imagens de satélite feitas pela Maxar em abril e maio deste ano.

As imagens obtidas pela CNN mostram o que Jeffrey Lewis, especialista em armas e professor do Middlebury Institute, descreveu como “o primeiro indicador inequívoco de que a Coreia do Norte está se movendo para concluir o reator”, cuja construção foi interrompida em 1994.

A Coreia do Norte está “conectando o circuito de resfriamento secundário do reator de 50 MW(e) a uma casa de bombas no rio”, disse ele sobre as fotos do Maxar.

“Na imagem datada de 20 de abril, o equipamento de construção é visível, assim como o que parecem ser segmentos de tubos. Em 7 de maio, a Coreia do Norte havia enterrado o tubo”, acrescentou Lewis. “A conexão do circuito de resfriamento ajuda a explicar outras atividades observadas no reator de 50 MW(e) nos últimos anos.”

O especialista acrescentou que uma instalação que se pensava conter uma lagoa de resfriamento de combustível usado foi considerada erroneamente como demolida no ano passado.

“Conectar o circuito de resfriamento secundário sugere, em retrospectiva, que a demolição do aparente prédio de combustível usado foi um sinal precoce de que a Coreia do Norte pretende concluir a construção do reator”, disse ele.

O reator é aproximadamente dez vezes maior que o atual reator nuclear de Yongbyon, que está em operação desde o final dos anos 1980.

Especialistas admitiram, no entanto, que é muito difícil prever com que rapidez a Coreia do Norte terminará de construir o reator. Mas, de acordo com Lewis, uma vez operacional, pode permitir que o país aumente sua produção de plutônio para armas nucleares por um fator 10 vezes mais veloz.

De acordo com uma fonte anônima, as autoridades de inteligência dos EUA também estão cientes e monitorando de perto as atividades recentes em Yongbyon, e a Coreia do Norte não está tentando esconder seus esforços para reiniciar a construção do reator em questão. Acredita-se que tais atividades sejam uma demonstração externa do progresso e das metas nucleares da Coreia do Norte, com a construção adicional do reator de Yongbyon alinhada com o objetivo de Pyongyang de se estabelecer como um estado com armas nucleares.

Sob os termos de um acordo de 1994 com os Estados Unidos, a Coreia do Norte suspendeu a construção do reator nuclear de Yongbyon. De acordo com Lewis, o reator ainda estava a anos de ser concluído.

A Coreia do Norte pode iniciar testes nucleares subterrâneos em um futuro próximo, de acordo com oficiais militares e de inteligência dos EUA. As autoridades da RPDC estão se preparando para um teste em outra instalação, o local de testes nucleares de Punggye-ri, e pode estar pronto até o final de maio.

Se a Coreia do Norte realizar um teste nuclear subterrâneo, será o oitavo e o primeiro do país em quase cinco anos.

Publicidade
Publicidade