Curta nossa página


Tiro e queda

Coreia promete castigar EUA com arma termonuclear

Publicado

Autor/Imagem:
Antônio Albuquerque, Edição - Foto Reprodução/Sputniknews

As autoridades norte-coreanas estão esperando o momento para “castigar” a Coreia do Sul e EUA por seus exercícios militares conjuntos, iniciados na segunda, 21, e que vão até o próximo dia 31, segundo a agência de notícias KCNA.

A mídia ressalta que os exercícios são os maiores já realizados pelos dois países na região, ignorando as advertências norte-coreanas.

Além disso, a mídia destaca que EUA e Coreia do Sul estão simulando uma guerra nuclear com enormes forças de agressão empregadas, em uma provocação nuclear clara à Coreia do Norte.

“Os chefes dos EUA, Japão e Coreia do Sul se reuniram em Camp David Resort, perto de Washington, em 18 de agosto, para detalhar, planejar e formular a provocação de guerra nuclear na península. […] E se esses acordos forem colocados em prática […] então a possibilidade de uma guerra termonuclear na península coreana será mais realista”, destacou a mídia.

Para a agência, a agressividade do exercício está sendo cada vez mais notória, já que os “Estados criminosos de guerra” como Austrália, Canadá, França, Reino Unido, Grécia, Itália, Nova Zelândia e Filipinas, que estiveram presentes na última Guerra da Coreia “debaixo da capa da ONU”, estão participando das simulações, enfatizou.

Essa situação predominante requer que o Exército norte-coreano tome a iniciativa e a ação ofensiva e esmagadora para uma guerra.

“A vontade de castigar as forças hostis que ameaçam a soberania de nosso Estado e o direito à existência de nosso povo durante décadas espera um momento de percussão. As Forças Armadas norte-coreanas vão esperar o momento oportuno”, prometeu Pyongyang.

As forças americanas e sul-coreana comunicaram que as manobras anuais pretendem “reforçar a postura defensiva conjunta e as capacidades de resposta” da aliança, bem como “promover a segurança e estabilidade no nordeste da Ásia”.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2024 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.