Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Basquete de rua

Cufa vai ‘sextando’ com Liibra até 13 de fevereiro

Publicado

Foto/Imagem:
Malu Oliveira, Edição/Via La Pauta Comunicação - Foto Divulgação

A 4ª edição da Liga Internacional de Basquete de Rua (Liibra DF), competição organizada pela Central Única das Favelas do Distrito Federal (Cufa DF), realizou fase classificatória nas dependências esportivas do Sesc Taguatinga Norte. A categoria feminina já alcançou a final, que acontece no domingo, 30, entre as equipes Winx e Forças da Capital. Já pela categoria masculina, os times classificados para as quartas até então são Dream Team e Gama Team.

Bruno Kesseler, presidente da Cufa DF, comenta sobre o intervalo de anos entre as duas últimas edições: “a Liibra é um dos eventos mais tradicionais da Cufa, foi um dos primeiros que realizamos aqui. Brasília sempre teve grandes times de referência que participam do campeonato nacional, tem um público muito interessado e atletas sempre nos pedem para retomar a competição. Então, atendemos aos pedidos e adaptamos para que pessoas que jogaram na última edição possam voltar a participar. É um evento muito importante para nós. Além de juntar pessoas de várias idades, agrega outros elementos culturais, como break, hip hop, grafite”.

Equipes
A atleta da equipe finalista feminina Winx, Manuela Cristina, fala sobre sua experiência com o esporte e com a entidade: “eu jogo basquete há 25 anos. Fui profissional em São Paulo e já atuei pela Cufa no Rio de Janeiro e em outros vários estados. Por isso, vejo a importância desse projeto, que deveria ser ampliado, porque agrega valores a toda a comunidade e, principalmente, aos adolescentes que hoje jogam basquete e têm isso como estilo de vida, como meio de evolução”.

O técnico da mesma equipe feminina, Adam Wheeler divide sua perspectiva sobre a primeira vitória alcançada: “o primeiro jogo é sempre uma caixa de surpresas, porque o time pode estar treinando ou parado, mas o que conta é a experiência. Nosso adversário, o La Revolución, era mais jovem, o que gerou bastante dificuldade para elas, pela diferença de corpo e de controle da partida. Vencemos não por estar mais ou menos preparados, mas por ser um time com mais bagagem”.

Retomada
A Liibra esteve ausente das quadras brasilienses por muito tempo, desde sua terceira edição. Desde então, a Cufa está atenta à demanda pela volta do campeonato à cidade e retomou os trabalhos em 2022. Maick Silva, jogador do Dream Team, também traz seu aporte sobre o retorno do torneio: “a Liibra tem laços fortes com o hip hop, ou seja, com a cultura de rua. Além disso, ela inclui atletas profissionais e amadores, possui essa grande abrangência. É muito bem organizada em termos de estrutura também. E pelo fato de não acontecer há muito tempo, essa retomada deu aos times uma sede de vitória importante. As partidas estão acirradas. Tudo pode acontecer em 10 minutos, não tem time favorito”.

Acesso
As quadras do Sesc permanecem como palco de todas as partidas até a grande final masculina, em 13 de fevereiro. Os jogos, porém, não são abertos ao público, de acordo com a alteração, de 27/01/22, do Decreto nº 42.730, de 23 de novembro de 2021, que dispõe sobre as medidas adotadas pelo Executivo para enfrentamento da pandemia de covid-19.

As partidas das quartas de final, das semifinais e das finais, poderão ser acompanhadas pelo canal da Cufa.

Regras do jogo
No modelo de basquete de rua, disputam em quadra 2 equipes de 4 jogadores titulares e 2 reservas. Para dar início à partida, cada equipe deverá ter, ao menos, 1 jogador reserva, totalizando, no mínimo, 5 atletas presentes. Os jogos são disputados durante 1 período de 10 minutos e 24 segundos de posse de bola.

Na primeira fase, os times masculinos foram divididos em 8 grupos de 4 equipes, disputados em formato “todos contra todos”. Vence a equipe que tiver a maior quantidade de vitórias dentro da sua chave. Os melhores times de cada chave se classificam para às quartas de final, na sequência, para as semifinais e para as finais. Os times femininos seguem a mesma configuração e os dois destaques da chave se enfrentam na final.

Próximas partidas:
● 30/01 – Chave E + Final Feminina (7 jogos);
● 05/02 – Chave F e G (12 jogos);
● 06/02 – Chave H (6 jogos);
● 12/02 – Quartas de Final (4 jogos);
● 13/02 – Semifinais e Final (3 jogos).

Publicidade
Publicidade