Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Cufa Empreenda

Cursos para área cultural antecipam o futuro

Publicado

Foto/Imagem:
Malu Oliveira, Edição/Via La Pauta Comunicação - Foto Divulgação

Ao promover a vigésima quarta oficina, o Cufa Empreenda alcança outra etapa, adotando o conceito de Educação e Cultura como novo eixo central. Quatro cursos estreiam a fase: Indústria Cultural de 15 a 19/11; Arte, cultura e sustentabilidade de 22 a 26/11; Economia Criativa de 29/11 a 03/12; e Elaboração e gestão de projetos de 6 a 10/12. O primeiro deles já conta com inscrições abertas no site do projeto, os demais estarão disponíveis em breve.

O eixo anterior, construído sobre o conceito de Inteligência Digital, obteve altíssima adesão e formou um significativo número de estudantes. Assim, visando alcançar o mesmo êxito, a organização do Empreenda investe energias na renovação conceitual para capacitar ainda mais participantes.

Bruno Kesseler, presidente da Cufa DF, comenta sobre essa renovação: “o projeto obteve muito êxito, trazendo uma diversidade enorme de temas e um número expressivo de oficinas. A partir disso, nossa ideia é inovar para formar com qualidade, atuando dentro dos critérios de atualização que o mercado exige. Renovar para melhorar é um lema constante dentro do Empreenda e da Cufa”.

Ainda sobre a mudança de foco, Mirella Dias, gestora de projetos, comenta: “a ideia é iniciar uma série de atividades voltadas para educação e cultura especificamente. Anderson Quack contribuiu para a nova curadoria. Juntamente com Bruno Kesseler, ele implementou essa etapa com o intuito de manter o projeto o mais dinâmico e atual possível”.

O Cufa Empreenda rompe as barreiras e obtém um respeitável alcance em âmbito local, ao oferecer capacitação gratuita para a favela empreendedora de todas as RAs do Distrito Federal. Entre essas diversas atividades, está a oficina de Arte, cultura e sustentabilidade, ministrada por Cris Sobral, que explica detalhes de sua proposta: “o objetivo do curso é oferecer sustentabilidade para quem deseja trabalhar com arte e cultura. Com isso, pretendo mostrar, a partir de minha experiência e minha trajetória, caminhos para profissionalização, acessibilidade cultural e organização comunitária, no que se refere ao desenvolvimento de artistas, agentes culturais e demais pessoas interessadas nesses campos”.

Programação:

Curso: Indústria Cultural.
Data: 15 a 19/11.
Ministrante: Rafael Soul é ator, diretor, produtor cultural e professor licenciado pela Faculdade de Artes Dulcina de Moraes em Brasília (2010). É especialista em Direção Teatral, com formação Lato Sensu na Faculdade de Artes Dulcina de Moraes (2011) e Mestre em Práticas e Processos de Artes pela Universidade Federal de Uberlândia (2014).

Curso: Arte, cultura e sustentabilidade.
Data: 22 a 26/11.
Ministrante: Cristiane Sobral é carioca do subúrbio de Coqueiros e vive em Brasília. Multiartista, é escritora, poeta, atriz e professora de teatro. Bacharel em Interpretação e Mestre em Artes (UnB). Licenciada em Teatro. Professora de Teatro da Secretaria de Educação do DF. Publicou em diversas antologias nacionais e internacionais. Tem 10 livros publicados, o mais recente: “Amar antes que amanheça”, contos, ed. Malê (RJ). Dirigiu o grupo de teatro Cabeça Feita por 17 anos. Em 2019 palestrou sobre literatura negra em nove universidades estadunidenses, inclusive Harvard. Nesse mesmo ano, foi jurada do Prêmio Jabuti, contos.

Curso: Economia Criativa – fomentos e criatividade.
Data: 29/11 a 03/12.
Ministrante: Angélica Diano é CEO do grupo Mandala, gestora de projeto no Terruá, Produtora há mais de 18 anos, tem em seu currículo festivais como, Favela Sounds, Satélite 061, Porão do Rock, Ferrock, Makossa Black, Ocupação Contém, além de empresas como Brookfield Incorporações, Claro, Ambev, Jovem de Expressão, Igualando Oportunidades, Inesc e Banco do Brasil.

Curso: Elaboração e gestão de projetos.
Data: 06 a 10/12.
Ministrante: Priscila Dourado é professora universitária. Na pandemia, decidiu atuar como empreendedora social. Criou e coordenou o Projeto Ipê Digital (2021), visando a inclusão sociodigital de mulheres negras empreendedoras no Brasil. Foi professora-substituta na UnB, até 2019. Trabalha na Faculdade Senac-DF. É colaboradora do Instituto Plataforma Brasil com foco em ações educativas para jovens sobre vida e direitos humanos. Pós-doutora em Direitos Humanos, doutora em Educação, mestre em Administração, especialista e graduada em Administração, fez curso de curta duração em Gestão e Negócios na Universidade de New Hampshire.

Publicidade
Publicidade