Curta nossa página


Galinha do Inferno

Descobertos novos fósseis de dinossauros ‘Chicken From Hell’

Publicado

Autor/Imagem:
Mary Manley/Via Sputniknews - Foto Reprodução

Uma nova espécie de dinossauro foi descoberta recentemente por um estudante do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Oklahoma, de acordo com um novo estudo publicado na revista PLOS One.

Kyle Atkins-Weltman estava estudando uma pequena coleção de fósseis que comprou por US$ 5.000 em 2020 para um projeto de pesquisa quando fez a descoberta. Na época, ele acreditava que esses fósseis pertenciam a um dinossauro jovem Anzu wyliei, apelidado de “galinha do inferno”.

Mas quando Atkins-Weltman levou os seus fósseis para serem digitalizados, percebeu que pertenciam a uma espécie que ainda não tinha sido descoberta.

Os fósseis pertenciam a uma espécie diferente da família dos dinossauros caenagnatídeos, do período Cretáceo Superior da América do Norte e da Ásia. Atkins-Weltman nomeou o novo dinossauro Eoneophron infernalis, que significa “a galinha do inferno do faraó”.

Os fósseis datam do período que existiu entre 100,5 milhões e 66 milhões de anos atrás, pouco antes de o impacto de um asteróide levar os dinossauros à extinção.

Acreditava-se que esse dinossauro recém-descoberto pesava entre 60 e 80 quilos e tinha cerca de um metro e meio de altura. Os fósseis foram encontrados no condado de Meade, que faz parte da Formação Hell Creek que flui por partes de Montana, Wyoming e Dakota do Norte e do Sul.

“Era um dinossauro muito parecido com um pássaro. Tinha um bico desdentado e uma cauda relativamente curta. É difícil saber qual é a dieta por causa do bico desdentado”, disse o estudante. “Definitivamente tinha penas. Estava coberto de penas e tinha asas.”

Tanto o dinossauro recém-descoberto quanto o A.wyliei eram oviraptorossauros que apresentavam membros longos e delgados e bicos desdentados. Este dinossauro de tamanho humano teria patas de três dedos com garras afiadas e também uma cauda curta.

“Eu diria que eles eram onívoros, com diferentes espécies possivelmente inclinando-se mais para a carnivoria ou herbivoria”, disse Atkins-Weltman.

E. infernalis será entregue ao Carnegie Museum of Natural History em Pittsburgh como uma doação à sua coleção. Porque embora tenha comprado os fósseis para o seu projeto de pesquisa, Atkins-Weltman admitiu que o mercado de fósseis é problemático.

“Ossos de propriedade privada são efetivamente inúteis para a ciência se não estiverem acessíveis”, disse ele.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2023 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.