Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Vizinho atrevido

Dinamarca simula uso de míssil capaz de atingir a Rússia

Publicado

Foto/Imagem:
Igor Kusnetsov/Via Sputniknews - Foto Reprodução

Durante o Defender Europe 2022, um grande exercício militar conjunto multinacional liderado pelos EUA, um lançamento de míssil simulado que tem o potencial de atingir Kaliningrado, na Rússia, foi realizado na ilha dinamarquesa de Bornholm, no Mar Báltico.

O sistema HIMARS que, segundo a Rádio Dinamarquesa, chegou à ilha num avião de transporte americano C17, tem um alcance de 500 km e pode atingir alvos muito além do território dinamarquês.

No momento do lançamento, um batalhão de Guardas Reais da Vida chegou a Bornholm para fortalecer a defesa da ilha mais oriental da Dinamarca, que tem uma população de 42.000 habitantes. O tenente-coronel e comandante do batalhão Thomas Lunau disse que o objetivo é mostrar que as Forças Armadas são capazes e estão dispostas a defender Bornholm militarmente.

A versão deste ano do Defender Europe foi projetada para aumentar a prontidão e a interoperabilidade entre os EUA, a OTAN e seus parceiros militares, e contou com mais de 8.600 soldados de 11 países europeus, além dos EUA.

O major e analista militar Esben Larsen, da Academia de Defesa Dinamarquesa, disse que o objetivo do exercício era mostrar que a Otan está pronta para resgatar um país caso seja atacado.

O ministro da Defesa dinamarquês, Morten Bødskov, enfatizou que a Dinamarca tem um “papel central na região do Mar Báltico” e chegou a chamar o exercício de “um sinal de solidariedade” entre os aliados, que estão ostensivamente “juntos em um momento difícil”. e um sinal para a Rússia de que “Putin não vencerá”.

Além de um tenente-coronel das forças armadas dos EUA, estiveram presentes representantes da Suécia e da Noruega durante o lançamento simulado. De acordo com Bødskov, esta é outra “mensagem importante” para Putin significando cooperação nórdica.

Jakob Seerup, historiador militar e diretor do Museu de Bornholm, chamou o lançamento simulado de “um dia verdadeiramente histórico para Sunshine Island”, como Bornholm é carinhosamente conhecido na Dinamarca. Ele acrescentou que o exercício foi “um avanço na política de segurança dinamarquesa”.

“A Dinamarca se levantou em uma enorme caixa de cerveja e, com um megafone na mão, está gritando para os russos que estamos dispostos a defender a Dinamarca, mesmo aqui em Bornholm”, disse Seerup à rádio dinamarquesa.

A Rússia registrou seu protesto em resposta e seu embaixador na Dinamarca, Vladimir Barbin, alertou que a atividade militar dinamarquesa-americana em Bornholm corre o risco de transformar a ilha do Mar Báltico de um “refúgio pacífico em uma potencial ponte militar”.

Na primavera de 1945, as forças soviéticas libertaram a ilha dinamarquesa de Bornholm da ocupação nazista e permaneceram lá por 11 meses após a rendição alemã. Embora todos os políticos dinamarqueses, britânicos e americanos duvidassem que os russos se retirariam da ilha sem considerável pressão diplomática e militar, as forças soviéticas acabaram deixando a ilha pacificamente.

Nos últimos anos, a mídia e os políticos dinamarqueses parecem esquecer o papel que a União Soviética desempenhou na libertação de Bornholm, tendendo a se concentrar nos bombardeios da Força Aérea Soviética quando ainda estava ocupada pelos nazistas.

Publicidade
Publicidade