Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Lenha na fogueira

Dinamarca treina soldados e manda mais armas para Kiev

Publicado

Foto/Imagem:
Bartô Granja, Edição - Foto Reprodução

A Dinamarca está entre os mais ardentes apoiadores da Ucrânia em seu recente conflito com a Rússia, tendo treinado soldados ucranianos e doado armas no valor de aproximadamente US$ 270 milhões. Os dois país estabeleceram um acordo pelo qual os soldados ucranianos serão treinados em solo dinamarquês.

“Não posso entrar em detalhes do acordo, mas os militares ucranianos serão treinados na Dinamarca”, disse o ministro da Defesa dinamarquês, Morten Bødskov, à TV2, enquanto visitava a capital ucraniana, Kiev.

No início de agosto, foi relatado que a Dinamarca contribuiria com 130 instrutores para o projeto liderado pelo Reino Unido neste outono para treinar soldados ucranianos com pouca ou nenhuma experiência militar. Naquela época, o ministro da Defesa, Morten Bødskov, também propôs treinamento adicional na Dinamarca, incluindo comandantes ucranianos.

A Dinamarca vem treinando soldados ucranianos na Ucrânia desde que a Rússia se reunificou com a Crimeia em 2014, um ato que a Dinamarca considerou “anexação”. A Dinamarca também prometeu apoiar a Ucrânia com doações e armas no futuro.

“Enquanto eles quiserem nosso apoio, nós os apoiaremos junto com outros aliados”, disse Bødskov, citado pela rádio dinamarquesa, acrescentando que o mundo precisa se preparar para um conflito “longo”.

Há um mês, a Dinamarca sediou uma conferência internacional para garantir um fluxo estável de armas e munições para os militares da Ucrânia, e os participantes concordaram em criar um fundo de DKK 11 bilhões (US$ 1,5 bilhão).

A assistência armamentista dinamarquesa no passado incluiu veículos blindados de transporte de pessoal, minas antitanque, mísseis navais Harpoon e granadas de morteiro. Somente no final de maio, a Dinamarca contribuiu com 2 bilhões de coroas dinamarquesas (US$ 270 milhões) em armas para a Ucrânia.

Além disso, Copenhague condenou a operação especial da Rússia na Ucrânia e apoiou com entusiasmo todas as rodadas de sanções da UE contra a Rússia. A Dinamarca também e colocou a favor de uma proibição geral da UE aos turistas russos, uma medida apoiada pela Polônia e pelos países bálticos.

O embaixador da Rússia na Dinamarca criticou a decisão anterior do país de treinar os soldados ucranianos como “apostando na vitória militar de Kiev” e “atrasando a paz”. A embaixada acrescentou que isso levaria a uma “nova escalada do conflito” e “perdas inevitáveis ​​para a Ucrânia”.

Publicidade
Publicidade