Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Enquanto a chuva não chega, feche a torneira

Carolina Paiva, Edição

Parte da população do Distrito Federal, principalmente aquela que mora em localidades atendidas por pequenos mananciais e poços profundos, tem sentido problemas de falta d’água em alguns períodos. A Caesb diz ter feito uma série de manobras para restabelecer o equilíbrio do abastecimento nas últimas duas semanas.

As regiões de Sobradinho, Planaltina, São Sebastião, Jardim Botânico e parte do Lago Sul têm sido as mais afetadas.

No caso de Sobradinho e Planaltina foi necessário contingenciar o abastecimento devido à repentina redução da disponibilidade de água no ribeirão Pipiripau, principal manancial dessas localidades. A Agência Reguladora de Águas (Adasa), responsável pelo gerenciamento dos recursos hídricos, atuou no sentido de alocar mais água para as cidades e, no último final de semana, foi possível restabelecer o abastecimento na região.

Já São Sebastião, Jardim Botânico, Setor de Mansões Dom Bosco e parte do Lago Sul (QIs 26 a 29) enfrentam situação semelhante, mas por outros motivos. Essas localidades são abastecidas por transferência do Sistema Torto-Santa Maria, pelo Córrego Cabeça de Veado e por poços profundos. Alguns desses poços sofreram paradas bruscas de funcionamento, seja por interrupção no fornecimento elétrico, seja por panes elétricas ou mecânicas, obrigando o acionamento imediato de equipes de manutenção para a correção dos problemas.

Porém, tendo em vista o alto consumo, foram necessárias interrupções emergenciais no abastecimento para buscar o reequilíbrio do sistema. As populações que moram em regiões mais altas – como a Vila do Boa, em São Sebastião – sentiram o problema por mais tempo, exatamente devido à demora no restabelecimento das pressões normais de abastecimento.

Na terça, 24, por meio de ajustes no sistema, houve acréscimo significativo na transferência de água para esse sistema, com aumento na vazão em 24 litros por segundo, o que tem colaborado na normalização do abastecimento dessa região.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente