Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Homens são o alvo

Estresse na meia-idade aumenta o risco de demência

Publicado

Foto/Imagem:
James Tweedie/Via Sputniknews - Foto Reprodução

Pesquisadores psiquiátricos alertaram que estresse, depressão e fadiga na meia-idade podem aumentar o risco de homens sofrerem de demência senil mais tarde na vida.

O estudo, publicado pela revista Jama Network Open da Associação Médica Americana, descobriu que “através de uma modelagem cuidadosa, estabelecemos uma conexão entre os sintomas associados ao sofrimento mental e uma doença cerebral orgânica”.

“À medida que a população envelhece, os distúrbios de memória estão se tornando mais comuns. Naturalmente, isso torna importante a compreensão de seus fatores de risco”, escreveram os autores.

Os dados do estudo mostraram que “os sintomas de sofrimento psicológico foram significativamente associados ao aumento do risco de demência por todas as causas”.

Mas os especialistas enfatizaram que a correlação entre depressão na meia-idade e exaustão e demência na velhice só foi observada em homens.

“Isso pode indicar que entre os homens que relatam sintomas depressivos ‘frequentemente’, o grau dos sintomas pode ser mais grave e, portanto, se relacionar mais fortemente com um risco aumentado de demência”, escreveram eles.

A demência senil é caracterizada pela interrupção dos padrões de pensamento, confusão e perda de memória – por exemplo, sobre documentos confidenciais do governo na garagem.

Publicidade
Publicidade