Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Caub I

Folia de Reis volta para resgatar alegria de viver

Publicado

Foto/Imagem:
Malu Oliveira, Edição/Via Associação dos Foliões de Reis - Foto Reprodução

Brasília, modernista e planejada, também se expressa em manifestações culturais de várias tradições brasileiras, reveladas por meio da força da cultura regional de seus migrantes, desde sua construção. Prova disso é o Encontro de Folia de Reis do Distrito Federal, que comemora 20 anos de realização e está sendo preparado para promover um grande reencontro com uma das mais importantes festas tradicionais e identitárias do Brasil, símbolo da memória, resistência, raízes, esperança e fé no futuro.

O Encontro, em sua vigésima edição, retorna após dois anos e meio desde sua última realização, em 2019, na cidade de Planaltina. Suspenso em 2020 em razão da pandemia, o Encontro será realizado nos dias 22, 23 e 24 de julho, de sexta a domingo, no (Caub I) Centro Educacional Agrourbano Ipê, no Riacho Fundo II, comemorando duas décadas de história na capital federal.

Na programação, apresentações de 15 grupos de Folia de Reis, sendo eles do DF, Minas Gerais, Goiás, e Bahia; presépio, espetáculos de danças populares, oficinas de instrumentos, exposições e ambientação, barraquinhas de comidas típicas e diversas atrações musicais, dentre artistas locais, regionais e nacionais, como as consagradas duplas André e Andrade, Leyde e Laura, e Zé Mulato e Cassiano, que possuem suas trajetórias marcadas pelas tradições das folias de reis. Nesta edição, 50% das atrações são femininas, com folias compostas integralmente por mulheres, como a Folia de Reis Estrela de Belém, de Coromandel e a Folia de Reis Rainha da Paz, da cidade de Pato de Minas, que também traz a Folia de Reis Mensageiros de Santos Reis, composta exclusivamente por jovens.
O Encontro de Folias de Reis do DF é uma oportunidade especial para o público com raízes no meio rural, que poderá relembrar a infância, as vivências e celebrações típicas da cultura interiorana do país, numa festa que reitera a força da tradição e da herança cultural religiosa.

Destaca-se também nesta edição o local escolhido, o (Caub I) Centro Educacional Agrourbano Ipê, localizado na área rural do Riacho Fundo II, trazendo a lembrança das bandeiras carregadas por foliões, que cantavam suas trovas em estradas de terra batida. Ressalta-se, ainda, o envolvimento da comunidade local, que será responsável pela realização da Praça de Alimentação, com barraquinhas de comidas típicas preparadas pelos próprios moradores e feira de produtores locais, resultado da produção do evento como forma de fomentar a geração de renda na comunidade.

Cuidados especiais também podem ser vistos na inclusão de um espaço acessível, em frente ao palco, e na tradução em libras, que visam proporcionar uma boa experiência e um tratamento adequado a visitantes com qualquer tipo de deficiência.

Feliz por voltar à folia, Walério, presidente da Associação dos Foliões de Reis do Distrito Federal e Entorno – AFOREIS, instituição realizadora do projeto, é integrante da Folia João Timóteo, fala da saudade ao longo de quase três anos. “Sentimos muita saudade. Escutava uma tuadinha de Reis em casa, junto com a família, para espantar a tristeza e lembrar da alegria dos nossos giros da Folia.” Nos giros, o grupo entra de residência em residência para cantar e rezar pelos moradores. Os foliões usam roupas coloridas, tocam instrumentos musicais como, viola, violão, rabeca, tambores, pandeiro e acordeon, carregam uma bandeira enfeitada com flores e fitas coloridas, com a imagem dos Três Reis Magos e de Nossa Senhora com São José. Walério ressalta que esta edição do Encontro de Folias de Reis do DF será muito especial, construída para celebrar a alegria, a devoção e a fé aos Santos Reis. Uma série de novidades poderão ser conferidas na programação, que pela primeira vez será híbrida, isto é, ao vivo e com transmissão pela internet, através do canal do Clube do Violeiro Caipira.

O Encontro de Folia de Reis do Distrito Federal, que tradicionalmente era realizado anualmente, não ocorreu em razão do grave cenário pandêmico nos últimos dois anos. Com a melhora da crise sanitária, os organizadores decidiram retomá-la, mesmo que fora de época, considerando o apoio recebido via Fundo de Apoio à Cultura, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Distrito Federal.

História
Também chamada de Reisado ou Festa de Santos Reis, a folia se revela por meio de cânticos, ritos e melodias que contam a anunciação, o nascimento do menino Jesus e a peregrinação dos Reis Magos. Trazida pelos jesuítas ao Brasil, e que recebeu ao longo dos anos influências indígenas e africanas, a manifestação popular secular tem raízes no meio rural brasileiro, e retratam uma tradição cultural religiosa que resiste significativamente de geração em geração, levadas pelos avós, pais ou familiares reproduzindo-se dentro das próprias famílias. Sobreviveu ao êxodo rural e hoje, mesmo nos centros urbanos, se faz presente no cotidiano de quem destina aos três Reis Magos devoção e fé.

A Folia de Reis é uma manifestação cultural religiosa, ligada à história da Bíblia, especialmente ao evangelho de Mateus. Segundo relatos bíblicos, os três magos: Gaspar, Melchior (ou Belchior) e Baltazar visitaram o Menino Jesus, em Jerusalém. Ao recém-nascido, entregaram como presentes ouro, incenso e mirra, simbolizando, respectivamente, a realeza, a imortalidade e a divindade. De acordo com a tradição cristã, a visita teria ocorrido no dia 6 de janeiro, Dia de Reis. A realização dos festejos ocorre tradicionalmente entre os dias 25 de dezembro e 6 de janeiro e são comemorados de modo particular em cada região do país.

Considerada uma das mais belas manifestações populares do Brasil, a Folia de Reis permanece viva e atuante, com lugar cativo e destacado nas festividades populares, guardando os saberes e símbolos transmitidos pelos guias e embaixadores aos foliões mais novos. Os cantos são conduzidos por violas, violão, cavaquinho, pandeiro, bumbos, sanfona e caixas. Possuem como principal elemento simbólico a bandeira e organizam-se a partir de ritos, como o giro ou jornada, encontros, festas e cumprimento de promessas. No Distrito Federal, as Folias existem desde antes de sua construção, em 1960, e cidades como Planaltina, Brazlândia, Gama e São Sebastião fazem parte desse legado histórico.

Programação
Nos festejos deste ano, a abertura do Encontro de Folia de Reis do DF acontecerá no dia 22 de julho (sexta-feira), com o tradicional terço rezado e a chegada dos três Reis Magos, representados pelos atores Valterismar Maciel, como Rei Gaspar, Júnior Lima, como Rei Baltazar, e Xiquito Maciel Rei Belchior que também atuam na via Sacra de Planaltina.

A noite festiva prossegue com o giro das Folias, encontro das bandeiras, apresentações de grupos de foliões e se encerra com os shows dos violeiros Moisés Mozer e Luiz Borges, da Violeira Gaby Viola e a consagrada dupla goiana André e Andrade, tradicionais foliões.
No sábado, as atividades começam com o café da manhã dos foliões, giro das Folias e a brincadeira de palhaços, uma tradição que percorrerá as casas dos moradores da comunidade que serão definidos posteriormente, com cantos que lembram a viagem dos Reis Magos para levar ao Menino Jesus seus presentes.

No encerramento da noite de sábado, após a apresentação dos grupos de Folia, será a vez da violeira Karen Parreira e de Reinaldo Cordeiro, e a atração principal da noite traz a dupla Leyde e Laura de São Paulo, responsável por um dos duetos mais belos e aplaudidos da história da música caipira.

Domingo, a programação dos foliões começará com o café da manhã e a tradicional missa sertaneja, encerrando com a apresentação das folias, grupos de danças populares e violeiros. O show principal ficará por conta da tradicional e renomada dupla mineira-brasiliense de música caipira de raiz, Zé Mulato e Cassiano, que celebram 44 anos de carreira, a despedida das Bandeiras traz a dupla brasiliense de violeiros Ênio Lima e Gustavo Neto.

Barraquinhas de comidas típicas, exposições e ambientação, presépio, roda de prosa, oficina de instrumentos musicais, dentre outras atividades complementarão a programação.

O projeto contribui para a difusão deste movimento cultural e artístico tão significativo para a cultura brasileira. É realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. A entrada é franca e a classificação livre.

Serviço
Encontro de Folia de Reis do Distrito Federal 2022
Quando: De 22 a 24 de julho de 2022
Onde: – CAUB I – Centro Educacional AGROURBANO IPÊ Riacho Fundo II
Classificação livre e entrada franca.
Facebook: www.facebook.com/encontrodefoliadereisdf

Publicidade
Publicidade