Curta nossa página


América Latina

Fragmentação dos gastos é essencial na recuperação de consumo

Publicado

Autor/Imagem:
Dora Andrade, Edição - Foto de Arquivo/Rovena Rosa - ABr

A América Latina se encontra no melhor momento para a indústria de bens não duráveis desde 2017. Prova disso é que, no primeiro trimestre deste ano, a região completou sete trimestres consecutivos de expansão no consumo. É o que aponta o levantamento Consumer Insights Q1 2024, produzido pela Kantar, empresa de dados, insights e consultoria.

O cenário positivo é consequência de determinados fatores. A economia, por exemplo, continua a se apresentar sólida e resiliente – após os reveses gerados pela pandemia de Covid-19 e pela inflação, que também começa a se estabilizar. Ainda vale destacar que o crescimento do PIB é positivo, e o baixo nível de desemprego (em perspectiva histórica) é fundamental.

Nesse contexto, o omnichannel é responsável por desempenhar papel determinante na recuperação de consumo. “Com condições econômicas favoráveis, os latino-americanos têm mais capacidade para fazer compras maiores e escolher melhor os canais. Em média, visitaram nove canais no primeiro trimestre de 2024. Cada um deles oferecendo um mix de atrações diferentes em termos de categorias, marcas, tamanhos e preços”, explica Marcela Botana, Market Development Director Latam da Kantar.

A grande maioria dos canais se beneficia dessa tendência, sendo E-commerce (+37%), Lojas de Conveniência (+29,7%), Lojas de Descontos (+25,3%) e Atacadistas (+21,8%) os líderes no aumento dos gastos dos compradores. Também vale apontar que, juntas, Lojas de Descontos e Atacadistas ganharam 3% de participação no quesito desde 2022. Cada participação de 1% representa US$ 2 bilhões em vendas de bens de consumo massivo.

No primeiro trimestre de 2024, os latino-americanos compraram, em média, 56 categorias. Aqui, os Hipermercados se enquadram como o canal com compras de mais categorias – 31, no total. “Isso mostra que, hoje, não existe um único canal que as famílias usam para comprar todas as categorias. Cada loja cumpre seu papel e compõe a carteira do consumidor”, comenta Marcela.

Ainda em relação às categorias, três vêm se beneficiando do omnicanal: Tratamentos Capilares (+4,9 p.p. em penetração e crescimento em 17 canais), Chocolates (+3,9 p.p. em penetração e alta em 15 canais) e Isotônicos e Bebidas Esportivas (+5,6 p.p. em penetração e ascensão em 12 canais).

“Um fator-chave que reforça a natureza estrutural dessa mudança é que ela ocorre em todos os grupos demográficos: níveis socioeconômicos altos e baixos, compradores jovens e mais velhos, famílias pequenas e numerosas. Todos aumentam a proporção dos gastos com a tendência do omnichannel”, acrescenta especialista da Kantar.

Grande parte dessa democratização vem com o incremento do uso de mais métodos de pagamento para compras desses produtos, que permitiram às famílias ter acesso a compras maiores. O principal exemplo é que nos formatos Modernos, como Hiper e Supermercados, 40% dos carrinhos são pagos com cartões de débito ou crédito. Os métodos permitem um tíquete 50% maior em comparação com compras em dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2024 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.