Curta nossa página


Bolinha na traqueia

Glândula tida como inútil é escudo contra o câncer

Publicado

Autor/Imagem:
Egor Shapovalov/Via Sputniknews - Foto Reprodução

Numa revelação inovadora, a glândula timo, muitas vezes considerada insignificante na idade adulta, demonstrou desempenhar um papel crítico na saúde humana, de acordo com um recente estudo retrospetivo conduzido por investigadores norte-americanos. O estudo revela ligações surpreendentes entre a remoção do timo e o aumento do risco de mortalidade, bem como o desenvolvimento de cancro, levando os especialistas a repensar a importância desta glândula aparentemente “inútil”.

“A magnitude do risco era algo que nunca teríamos esperado. A principal razão pela qual o timo tem impacto na saúde geral parece ser uma forma de proteção contra o desenvolvimento do câncer”, disse David Scadden, professor de Gerald e Darlene Jordan. de Medicina e professor do Departamento de Células-Tronco e Biologia Regenerativa, que liderou o estudo.

Os pesquisadores descobriram que os indivíduos submetidos à remoção do timo enfrentaram um risco significativamente elevado de morte por qualquer causa mais tarde na vida. Além disso, descobriu-se que esses indivíduos eram mais suscetíveis ao desenvolvimento de câncer.

O estudo, embora de natureza observacional, não pode afirmar definitivamente uma relação causal direta entre a remoção do timo e estes riscos para a saúde, mas levanta preocupações significativas.

A glândula timo, responsável por promover o desenvolvimento do sistema imunológico durante a infância, demonstrou resultar em reduções de longo prazo nas células T – glóbulos brancos vitais para o combate a doenças – quando removida em uma idade jovem.

Além disso, indivíduos sem timo tendem a apresentar respostas imunológicas enfraquecidas às vacinas. “A magnitude da morte e do câncer em pacientes submetidos à timectomia foi a maior surpresa para mim. Quanto mais cavávamos, mais encontrávamos: os resultados sugeriram-nos que a falta de um timo parece perturbar aspectos básicos da função imunológica”, disse o primeiro autor Kameron Kooshesh, agora residente de medicina interna no MGH.

Ao contrário da crença de que a importância do timo diminui após a puberdade, este estudo desafia essa noção. Os pacientes que foram submetidos à remoção do timo tiveram quase duas vezes mais probabilidade de morrer dentro de cinco anos em comparação com aqueles que mantiveram o timo. Este risco aumentado persistiu mesmo depois de contabilizados fatores como sexo, idade, raça, câncer do timo, miastenia gravis ou infecções pós-operatórias.

As descobertas também destacaram um aumento de duas vezes no desenvolvimento do câncer cinco anos após a cirurgia de remoção do timo. Além disso, esse câncer apresentou maiores taxas de agressividade e recorrência, diferenciando-o dos cânceres do grupo controle.

Embora os mecanismos exatos por detrás destas associações permaneçam obscuros, os investigadores especulam que a ausência do timo pode perturbar o funcionamento saudável do sistema imunitário adulto. Notavelmente, os pacientes submetidos à timectomia exibiram menos receptores de células T diversos em seus exames de sangue, o que poderia contribuir potencialmente para o surgimento de câncer ou doenças autoimunes após a cirurgia.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2023 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.