Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Governo promete acabar com drama das chuvas

Carolina Paiva, Edição

O rio de lama em que se transforma a Asa Norte no período chuvoso pode estar com os dias contados. É que, em resposta aos alagamentos ocorridos na região com qualquer chuva mais intensa, está sendo ampliado o sistema de captação de águas pluviais, com duplicação da eficiência hidráulica de dezenas de bocas de lobo.

Na região estão sendo abertas novas estruturas de escoamento, duplicando-se a capacidade hidráulica das existentes e dando continuidade à instalação de meios-fios vazados, possibilitando a recepção da água pelos canteiros.

A ação é uma medida paliativa e objetiva minimizar os transtornos enfrentados pela população. O serviço teve início pela quadra 510 Norte, com a abertura de novas bocas de lobo, e está previsto para ser finalizado até o final desta semana.

“Com esta medida emergencial, pretendemos evitar ou pelo menos minimizar os alagamentos durante o período chuvoso nesta região. Com certeza os transtornos serão bem menores e pontuais”, ressalta o subsecretário de Acompanhamento Ambiental e Políticas de Saneamento, Diego Bergamaschi.

Medidas paliativas
Desde agosto o GDF vem desenvolvendo ações paliativas para superar os problemas com alagamentos na Asa Norte, principalmente nas Faixas de Contribuição 1/2 e 10/11, onde os incidentes são mais recorrentes. Além de intensificar a limpeza, o governo abriu novas bocas de lobo, criou reservatórios temporários com o rebaixamento das áreas verdes disponíveis e implantou curvas de nível nas imediações do Parque Burle Marx.

Solução definitiva
Apesar dos esforços do governo para conter a água das chuvas e minimizar os alagamentos, a solução definitiva para a questão só se dará com o redimensionamento das galerias de águas pluviais. Neste sentido, a atual gestão trabalha na readequação do projeto e na captação de recursos para a futura obra.

“O projeto existente é oneroso aos cofres públicos e as alternativas apresentadas não atenderam às exigências do Iphan [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional] quanto à questão do tombamento. Desta forma, estamos desenvolvendo um projeto viável e de acordo com as exigências. Esperamos, em breve, colocá-lo em marcha”, explica o secretário de Obras do GDF, Izidio Santos Junior.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente