Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Riscando o pavio

Guerra agora é contra Ocidente, diz ministro russo

Publicado

Foto/Imagem:
Bartô Granja, Edição - Foto Reprodução

Tanto o presidente russo, Vladimir Putin, quanto o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, fizeram discursos nesta quarta-feira, 21, após anúncios das repúblicas de Donbass, bem como das regiões de Kherson e Zaporozhye, de que planejam realizar votações para ingressar na Rússia nos dias 23 e 27 de setembro.

Em seu pronunciamento o ministro da Defesa Sergei Shoigu, disse que a Rússia estava em guerra com o Ocidente coletivo e não com a Ucrânia.

“Na realidade, estamos lutando contra o Ocidente coletivo além da Otan. Quando falamos sobre isso, queremos dizer não apenas as armas fornecidas [a Kiev] em grandes lotes, mas também os sistemas de comunicação e de processamento de informações”, disse Shoigu.

Os estados ocidentais, assim como a Otan, disse ele, estão fornecendo a Kiev “enormes” quantidades de armas. O ministro enfatizou que as forças ucranianas estão usando cada vez mais armas ocidentais para atingir a infraestrutura civil, incluindo hospitais.

Shoigu enfatizou que mais de 70 satélites militares e 200 satélites civis estão trabalhando para ajudar a Ucrânia. Segundo ele, cerca de 150 especialistas militares ocidentais foram enviados para Kiev, liderando de fato as forças ucranianas.

Tocando na questão dos custos militares do conflito na Ucrânia, Sergei Shoigu estimou que Kiev perdeu metade de seu exército, que originalmente tinha cerca de 200.000 soldados no estágio inicial da operação especial de Moscou.

“Neste período, suas perdas somam mais de 100.000 [baixas militares]. Isso inclui 61 mil mortes e 49 mil soldados feridos”, disse Shoigu. Mais de 2 mil mercenários estrangeiros foram eliminados na Ucrânia nos últimos meses pelos russos, afirmou o ministro. As perdas russas, observou, totalizam 5.937.

Publicidade
Publicidade