Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Clima tenso

Irã prende espiões de Israel que atuavam no país

Publicado

Foto/Imagem:
Bartô Granja, Edição - Foto de Arquivo

O Ministério da Inteligência do Irã informou a prisão de três pessoas suspeitas de trabalhar para a agência de espionagem israelense Mossad. O trio foi preso nas províncias de Sistão e Balouquistão, no sudeste do país.

De acordo com a inteligência iraniana, os três espiões estavam envolvidos na coleta de documentos e informações confidenciais.

O ministério não especificou as nacionalidades das pessoas presas e há quanto tempo eles supostamente trabalhavam para o Mossad.

No início de março, o serviço de segurança do Irã relatou frustrar as operações de duas equipes de sabotagem estrangeiras financiadas do exterior. Segundo as autoridades, os detidos planejavam assassinar vários estrangeiros que trabalhavam em projetos de infraestrutura na República Islâmica.

Em julho passado, o Ministério da Inteligência do Irã também disse que descobriu uma rede de agentes do Mossad perto das fronteiras ocidentais do país.

De acordo com Teerã, os agentes presos planejavam instigar tumultos e realizar ataques terroristas no país. Uma grande quantidade de armas e munições também foi apreendida durante a prisão, disse o Ministério da Inteligência.

A prisão dos supostos agentes do Mossad também ocorre enquanto Tel Aviv continua acusando Teerã de abrigar planos para construir armas nucleares. O Irã rejeita veementemente a alegação, apontando que tais armas contradizem os ensinamentos do Islã.

Israel prometeu responder à ameaça de o Irã obter armas nucleares e está considerando ataques aéreos contra as instalações nucleares de Teerã se as negociações para os EUA se juntarem novamente ao Plano de Ação Abrangente Conjunto chegarem a um acordo.

O acordo internacional suspendeu as sanções ocidentais ao Irã em troca de permitir inspeções da ONU em suas instalações nucleares. As negociações do JCPOA em Viena, no entanto, estão paralisadas há quase dois meses depois que as negociações fracassaram quando um acordo foi proposto para ser fechado.

Publicidade
Publicidade