Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Ex-presidente da Bolívia

Jeanine pega 10 anos de cadeia por golpe contra Evo

Publicado

Foto/Imagem:
Bartô Granja, Edição - Foto Reprodução

A ex-presidente boliviana Jeanine Anez foi condenada a 10 anos de prisão na sexta-feira depois de ser considerada culpada de participar do golpe de 2019 que lhe permitiu chegar ao poder e substituir seu antecessor, Evo Morales.

O Tribunal de Primeira Instância de La Paz da Bolívia emitiu sua sentença sobre os crimes de violação de seus deveres, bem como resoluções contrárias à lei e à constituição, que ela teria cometido após chegar ao poder em novembro de 2019.

Após mais de sete horas de deliberação, o tribunal também condenou o ex-general de polícia Yuri Calderón e o ex-comandante-chefe das Forças Armadas, Williams Kaliman Romero, ambos atualmente foragidos, a 10 anos.

A promotoria teria pedido em suas alegações finais 15 anos de prisão para Anez e os outros seis réus, que são membros do alto comando policial e militar.

Os advogados de defesa de Anez indicaram sua intenção de apresentar recurso, observando que entrarão em contato com órgãos internacionais para retificar a decisão do tribunal. Luis Guillen, que representou Anez, disse ao New York Times que a decisão foi ‘politicamente motivada’.

Anez, então senadora, assumiu o poder temporariamente em 2019 em meio a uma crise política e social, que Morales descreveu como um golpe, depois que ele foi forçado a renunciar devido a protestos cívicos e convulsões políticas. Na época, Morales havia conquistado um novo mandato como chefe de Estado nas eleições de outubro de 2019.

Publicidade
Publicidade