Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Cuspindo fogo

Kremlin avisa Casa Branca para evitar dar mais mísseis a Kiev

Publicado

Foto/Imagem:
Ilya Tsukanov/Via Sputniknews - Foto Reprodução

A Casa Branca está disposta a despachar para Kiev sistemas de mísseis antiaéreos de longo alcance. Embora Washington não confirme a informação, Moscou advertiu que quaisquer planos nesse sentido terão uma reposta imediata, e consequências imprevisíveis.

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a Rússia não está preocupada com o socorro cada vez maior à Ucrânia. “Quem deve avaliar o que pode acontecer é quem manda as armas”, avisou. “De nossa parte – pontuou -, saberemos tomar a medida certa e na hora certa”.

No final da segunda, 27, o conselheiro de segurança nacional de Joe Biden, Jake Sullivan, confirmou que Washington planeja enviar sistemas de defesa aérea de médio e longo alcance para Kiev.

Anteriormente, a Associated Press e a CNN informaram que o presidente Biden planejava anunciar a entrega de mísseis terra-ar avançados para a Ucrânia. Também seria prestado apoio adicional de artilharia.

Desenvolvido pela gigante de armas norueguesa Kongsberg Defense & Aerospace, o Sistema Avançado de Mísseis Aéreo de Superfície Norueguesa foi criado com financiamento norte-americano para proteger o espaço aéreo sobre Washington.

O sistema tem quase uma dúzia de outros operadores, incluindo Espanha, Finlândia, Holanda, Lituânia, Austrália, Chile e Indonésia. Omã, Hungria e Catar o encomendaram, com a Índia expressando interesse. O sistema supostamente tem um preço por unidade de cerca de US $ 40 a US $ 50 milhões, dependendo da configuração, e passou por duas grandes modernizações desde sua introdução no final dos anos 90.

Os Estados Unidos e seus aliados até agora entregaram mísseis terra-ar portáteis Strela, Stinger, Starstreak, Mistral e Piorun para a Ucrânia, com a Alemanha se comprometendo, mas ainda não entregando 50 tanques antiaéreos Flakpanzer Gepard reformados. A Eslováquia doou um de seus sistemas de defesa aérea e antimísseis S-300 da era soviética para a Ucrânia, mas o equipamento foi destruído por armas russas logo após a entrega.

Os EUA e a Otan, até agora, hesitaram em enviar sistemas de defesa aérea mais avançados e caros para a Ucrânia em meio a temores de que eles se tornarão imediatamente um alvo prioritário para a aviação e mísseis russos, enquanto Moscou luta para manter total superioridade aérea local e regional na guerra iniciada em 24 de fevereiro.

Publicidade
Publicidade