Curta nossa página


Consertando a Saúde

Leandro quer apurar desperdício de doses de vacina

Publicado

Autor/Imagem:
Preta Abreu, Edição - Foto Divulgação

O deputado distrital Leandro Grass solicitou que o Ministério Público de Contas junto ao Tribunal de Contas do Distrito Federal e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios apurem o desperdício de mais de 140 mil doses da vacina Coronavac — destinadas à imunizar crianças de 3 e 4 anos contra a Covid-19.

O pedido foi encaminhado à procuradora do Ministério Público de Contas junto ao Tribunal de Contas do Distrito Federal, Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira, e à procuradora-geral do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, Fabiana Costa Oliveira Barreto.

Além das 140 mil doses de vacina descartadas, notícias dão conta que o Ministério de Saúde recolheu outras 150 mil doses do Distrito Federal, antes do vencimento — ou seja, quando ainda estavam em condições de uso.

“A informação é muito preocupante, sobretudo porque se trata da vacinação de um grupo bastante vulnerável ao contágio da Covid-19. Dessa forma, e por causa dessas preocupações, considero que seja necessário tomar providências para solucionar o presente caso, que reputo ser uma situação extremamente grave”, afirmou Leandro Grass.

Crianças carimbadas
O deputado distrital solicitou, também, que seja apurado o caso que envolve estudantes do Centro Educacional 3 de Planaltina, que tiveram as mãos carimbadas para não repetir a merenda, bem como relatos sobre a falta de merenda em escolas públicas do Distrito Federal.

Leandro Grass solicitou informações sobre o caso à Secretaria de Educação e pediu, também, que o caso seja apurado pelo procurador-Geral do Ministério Público de Contas junto ao Tribunal de Contas do Distrito Federal, Marcos Felipe Pinheiro Lima, e pelo promotor de Justiça da Promotoria de Justiça de Defesa da Educação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, Anderson Pereira de Andrade.

“Considero bastante grave a notícia e reputo necessário apurar se os estudantes são impedidos de repetir a refeição por que falta merenda nas escolas. A atual situação econômica de inúmeras famílias é de tal gravidade, atualmente, que muitas vezes essa é a única refeição da criança. Portanto, é bastante grave a denúncia que, significa, além de tudo, uma situação de constrangimento e de humilhação para as crianças no ambiente escolar”, declara.

Para Leandro Grass, a notícia — a partir de relatos dos estudantes — indica, ainda, que a quantidade de alimentos não é suficiente para todos os estudantes, fato preocupante tendo em vista que isso fere o direito à alimentação, presente no artigo 6o da Carta Magna.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2023 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.