Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Maduro ameaça afundar navios de guerra dos EUA

Bartô Granja, Edição

O presidente venezuelano, Nicolas Maduro, repudiou nesta sexta-feira, 2, a afirmação de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, de um bloqueio de Caracas, acrescentando que seus mares permanecerão “livres e independentes”. O líder chavista também determinou ao representante da Venezuela na ONU que denunciasse a ameaça ilegal norte-americana.

“Donald Trump diz que está considerando impor uma quarentena contra a Venezuela, significando que nenhuma embarcação entra ou sai [das águas da Venezuela]. É um bloqueio. Instruí o embaixador na ONU Samuel Moncada, a informar o Conselho de Segurança sobre a ameaça ilegal e criminosa de Donald Trump de introduzir um bloqueio marítimo e uma quarentena contra a Venezuela “, disse Maduro em pronunciamento ao vivo na TV estatal.

Maduro também argumentou que Trump expressou suas ameaças por causa do “desespero de Washington em face da dignidade da Venezuela”.

“Eu estou dizendo a Donald Trump que o imperialismo criminal não vai lidar com a Venezuela. As águas da Venezuela serão livres, soberanas e independentes. Vamos navegar da maneira que escolhemos. Prepare-se para uma luta se quiser introduzir uma quarentena contra a Venezuela “, destacou o presidente venezuelano. Maduro advertiu afundará navios que tentem bloquear seus mares,

A Venezuela está passando por uma crise política e econômica que se intensificou em janeiro, quando o líder da oposição Juan Guaido declarou ser o presidente interino do país após contestar a reeleição do atual presidente Maduro .

Os Estados Unidos e outros 54 países reconheceram Guaido, mas Rússia, China, Cuba, Bolívia, Turquia e vários outros países disseram que reconhecem Maduro, eleito constitucionalmente, como o único presidente da Venezuela.

Maduro disse que Guaido é um fantoche dos EUA e acusou os Estados Unidos de orquestrar um golpe para forçar uma mudança de governo na Venezuela e reivindicar os vastos recursos de combustíveis fósseis do país.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente