Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Abuso americano

México pede união mundial contra bloqueio a Cuba

Publicado

Foto/Imagem:
Luis Manuel Arce Isaac/Via Pátria Latina

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, está insistindo que é hora de tomar uma decisão sobre o bloqueio econômico dos Estados Unidos contra Cuba. Em coletiva de imprensa na cidade de Veracruz, ele disse que todos conhecem sua abordagem do sábado passado de que uma nova relação entre todos os países da América é necessária e é preciso convencer e persuadir as autoridades dos Estados Unidos.

Obrador reiterou que a política que os Estados Unidos definiram há 200 anos não funciona mais nem vale para ninguém, que agressões, invasões, anexações ou bloqueios não fazem mais sentido e, ao invés disso, deve haver cooperação para o desenvolvimento de todos os povos.

Agora que existe uma difícil situação de saúde em Cuba, garantiu, ‘em vez de bloquear devemos todos ajudar, porque não é concebível que nestes tempos queiram punir com um bloqueio um país independente’.

Além disso, afirmou, quase todos os países do mundo estão contra o bloqueio a Cuba. É hora de tomar uma decisão a respeito e aproveito para dizer que tomamos essa decisão por solidariedade frente ao bloqueio.

Proclamou que ‘não basta votar na ONU, contar o bloqueio e aproveito para fazer um apelo para que o voto na ONU se expresse em atos, se transforme em ações em prol do povo cubano’.

Ele confirmou que, da ‘heroica Veracruz’, que tem uma relação tão histórica com Cuba, dois navios da Marinha mexicana vão partir com oxigênio, alimentos e remédios e avalia que o presidente americano Joe Biden deve tomar uma decisão a esse respeito.

Disse que é um apelo respeitoso, do ponto de vista não interferencial, mas é preciso separar o político do humanitário.

A vida, argumentou ele, é o mais importante, é o princípio dos direitos humanos, o direito à vida. Muitas coisas poderiam ser feitas, sugiro apenas uma com todo o respeito pelas duas nações: que as famílias de Cuba possam se unir e permitir o envio de remessas de quem trabalha nos Estados Unidos à medida que recebemos apoio de nossos cidadãos no exterior.

“Como bloquear isso se nem é dinheiro do governo dos Estados Unidos. E assim, muitas outras coisas e algo que é fundamental: diálogo, diálogo e mais diálogo, como disse Benito Juárez, nada pela força, tudo pela razão e pela lei”, acentuou.

López Obrador propôs no último sábado aos ministros das relações exteriores de toda a América Latina e Caribe proclamar Cuba Patrimônio da Humanidade e a seu povo o Prêmio Dignidade por sua resistência de 62 anos à política de expansão dos Estados Unidos.

Mexicanos e cubanos o apoiaram em uma grande manifestação em frente à embaixada dos Estados Unidos.

Publicidade
Publicidade