Curta nossa página


Primo da Terra

Mistério do ‘planeta infernal’ foi finalmente resolvido?

Publicado

Autor/Imagem:
Svetiana Ekimenko

Sinais misteriosos que uma super-Terra, apelidada de planeta “infernal” e localizada a cerca de 50 anos-luz de distância da Terra, vem enviando há quase duas décadas, parecem ter sido finalmente decifrados pelos cientistas.

A razão dos sinais são os vulcões salpicando a superfície deste mundo, ostentando o nome de 55 Cancri e também Janssen.

Aparentemente, quando periodicamente nascem vivos, expelem gás quente rico em carbono, sendo este último uma atmosfera.

Mas uma vez que a atmosfera é queimada pelas altas temperaturas causadas pela órbita extremamente próxima do planeta, o processo volta a ocorrer, de acordo com o estudo , publicado no Astrophysical Journal Letters . Para efeito de comparação, a distância entre 55 Cancri e e a sua estrela hospedeira é dois por cento da distância entre a Terra e o Sol.

Esta super-Terra – um tipo de exoplaneta com massa maior que o nosso planeta – é um mundo rochoso com cerca de oito vezes a massa da Terra. Foi descoberto em 2004 orbitando uma estrela semelhante ao Sol (Copérnico, ou 55 Cancri) a uma distância de menos de 2,4 milhões de quilômetros na constelação de Câncer.

O fato de o exoplaneta se mover numa órbita em torno do seu hospedeiro a uma distância muito próxima, completando uma rotação à sua volta em apenas 18 horas, significa basicamente que um ano naquele planeta dura exatamente esse tempo.

Com a temperatura da superfície do planeta aparentemente “muito acima do ponto de fusão dos minerais formadores de rochas típicos”, acredita-se que o lado diurno de 55 Cancri e “esteja coberto por oceanos de lava”, informou a Nasa anteriormente. Quanto ao seu núcleo, acredita-se que tenha um núcleo feito de diamante.

Quanto aos sinais vindos da super-Terra, há muito que confundem os cientistas. Estes sinais de trânsito são, especificamente, a luz que é visível da Terra quando 55 Cancri e se move através da face da sua estrela hospedeira, num eclipse, bem como quando passa por trás de Copérnico.

Assim, como as observações revelaram, a atmosfera de 55 Cancri e é muito instável, sendo a situação tal que por vezes o exoplaneta tem atmosfera e por vezes não . Os investigadores notaram que esta teoria que explica os sinais precisa de ser testada, usando o Telescópio Espacial James Webb.

Assim que a temperatura e a pressão da atmosfera do planeta forem medidas, os cientistas poderão finalmente determinar a linha do tempo para a presença de uma atmosfera no planeta “infernal”.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2023 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.