Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Tráfico de órgãos

Namoro virtual acaba com corpo esquartejado e jogado na praia

Publicado

Foto/Imagem:
Svetiana Ekimenko/Via Sputniknews - Foto Reprodução

A  mexicana Blanca Arellano estava “apaixonada” e ansiosa para finalmente encontrar o estudante de medicina com quem havia iniciado um relacionamento online. Ela, de 51 anos, comprou uma passagem para Lima, capital do Peru. No entanto, apenas alguns dias depois, seu dedo decepado ainda com um de seus anéis de prata alertaria seus parentes chocados sobre o desfecho fatal daquele relacionamento romântico.

Arellano encontrou pela primeira vez Juan Pablo Jesus Villafuerte, 37 anos, em um fórum de apostas online, de acordo com a mídia peruana. Depois de interagir com o jovem, morador da cidade costeira de Huacho, por vários meses, ela finalmente concordou em pegar um avião para o Peru para ver seu e valeria a pena manter o caso amoroso.

Depois de chegar ao Peru, a mulher informou à sobrinha Karla Arellano, que manifestava preocupações, que estava tudo bem. Mas essa foi a última vez que a família ouviu falar da mulher apaixonada.

Cada vez mais preocupada, Karla Arellano foi às redes sociais, postando a foto da tia, legendando a imagem com os dizeres que buscava ajuda para divulgar o post para encontrar “uma das pessoas mais queridas e importantes da minha vida”. Ela acrescentou que a família temia cada vez mais pela vida de Blanca.

A postagem imediatamente começou a ganhar força, com curtidas e comentários, e chamando a atenção das autoridades locais. Pouco depois, a sobrinha da desaparecida decidiu entrar em contato com o estudante de medicina na esperança de que ele pudesse ajudá-la a localizar seu familiar.

No entanto, ele afirmou que o casal havia escolhido seguir caminhos separados e Blanca Arellano estava voltando para o México, porque ele “não podia oferecer a vida que ela queria”. Em sua última mensagem de texto enviada à mulher que procurava desesperadamente por sua amada tia, o jovem disse que não sabia de mais nada.

As autoridades do Peru finalmente começaram a procurar a pessoa desaparecida. A primeira descoberta arrepiante ocorreu em 10 de novembro, quando um dedo decepado adornado com um anel de prata apareceu na praia de Huacho.

A família de Arellano o identificou como pertencente a Blanca. Nos dias subsequentes, no mesmo local foram revelados achados mais horríveis, como uma cabeça com o rosto deformado, sem os olhos; um braço e depois um torso. Segundo relatos, todos os órgãos internos pareciam ter sido retirados.

A polícia local prendeu Villafuerte em 17 de novembro como o principal suspeito da morte de Arellano. Uma investigação de homicídio foi iniciada. “Juan Pablo Villafuerte foi preso sob a acusação de tráfico de órgãos humanos”, disse o procurador-geral do Peru em entrevista coletiva.

Segundo relatos, a investigação logo descobriu que Villafuerte postou uma série de vídeos no TikTok pouco depois do desaparecimento de Arellano. Nas imagens terríveis, ele pode ser visto supostamente realizando a dissecação de órgãos humanos, como pâncreas e cérebro. Uma busca no apartamento do estudante de medicina revelou vestígios de respingos de sangue por toda parte. A investigação continua.

Publicidade
Publicidade