Curta nossa página


Milei, o boca suja

Relação azeda mais e Espanha exige pedido de desculpas da Argentina

Publicado

Autor/Imagem:
Mary Manley/Via Sputniknews - Foto Reprodução

A Espanha, segundo maior investidor estrangeiro da Argentina, está revendo as relações diplomáticas entre os dois países. O ‘hermano’ Javier Milei enfrenta reações cada vez mais adversas depois de descrever Begoña Gómez, esposa do primeiro-ministro socialista espanhol Pedro Sánchez, como corrupta e descrever o socialismo como “amaldiçoado e cancerígeno”. Milei fez seus comentários durante um comício em Madri organizado pelo partido espanhol de extrema direita Vox.

Após os comentários explosivos do lídfer extremista da Argentina, a Espanha chamou de volta o seu embaixador em Buenos Aires para consultas. Entretanto, a oposição espanhola, liderada pelo Partido Popular, sugeriu que Sánchez errou ao elevar o conflito pessoal a um nível diplomático.

O ministro das Relações Exteriores espanhol, José Manuel Albares, diz que espera um pedido de desculpas de Milei, mas o porta-voz do governo argentino descartou essa possibilidade. Em vez disso, sugeriu que as autoridades espanholas deveriam pedir desculpas pelos insultos que fizeram contra Milei.

“Com o seu comportamento, Milei levou a relação entre a Espanha e a Argentina ao estado mais sério da história recente”, disse Albares. “A esta hospitalidade e boa fé, ele respondeu com um ataque frontal à nossa democracia, às nossas instituições e à Espanha”, frisou.

Em abril , um tribunal de Madri abriu uma investigação preliminar sobre Gómez por suspeita de “tráfico de influência e corrupção”. As alegações do caso foram feitas por um grupo anticorrupção de direita. Sánchez descreveu a si mesmo e à sua esposa como vítimas de “difamações” da direita.

Um grupo de executivos se reuniu com Milei no sábado, incluindo dirigentes do BBVA e da Telefónica, mas foram forçados a recuarem na proposta de novos investimentos após os comentários do presidente argentino. Eles disseram concordar com a declaração do chefe do CEOE, Antonio Garamendi, que rejeitou os comentários de Milei, que estavam “fora de tom contra o primeiro-ministro e sua esposa”.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2024 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.