Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Sotaque candango

‘Remedin’ leva o 1º prêmio das cachaças artesanais

Publicado

Foto/Imagem:
Malu Oliveira - Foto Divulgação

A Confederação da Agricultura acaba de anunciar os vencedores das melhores cachaças de alambique que concorreram ao Prêmio CNA Brasil Artesanal 2022. Cerca de 100 produtores de 13 estados brasileiros e do Distrito Federal participaram da seleção. Os vencedores foram selecionados em duas categorias – cachaças brancas e amarelas, de acordo com o processo de produção, sem e com madeira.

Na categoria branca, o vencedor do Prêmio CNA Brasil Artesanal foi o produtor Cid Marques Faria, da Cachaça Remedin Prata, da Fercal, na capital de República.  Para o produtor, vencedor da categoria branca, “o prêmio é importante para dar visibilidade à marca e também é fonte de orgulho para a toda a família”.

“Nosso alambique tem apenas cinco anos, somos uma empresa familiar e fazemos a cachaça de forma tradicional. Esse prêmio é para uma categoria que tenho muito orgulho, que é a cachaça prata”, pois ela é a prova de fogo, pois não é envelhecida na madeira, ou é boa ou não é”, disse Cid.

Já na categoria amarela o vencedor foi o produtor Eliezer Ferreira de Lacerda, da Cachaça Princesa do Vale, de Pedra Azul (MG). O primeiro colocado, nas duas categorias, receberá um prêmio de R$ 6 mil. O segundo lugar, R$ 3,5 mil; o terceiro R$ 2 mil e o quarto de R$ 1 mil. Os três primeiros colocados em cada categoria receberão o Selo de Participação no Prêmio CNA Brasil Artesanal.

A primeira edição do prêmio de cachaça de alambique contou com a participação de pequenos produtores com os registros no Ministério da Agricultura e com produção anual total do alambique de até 20 mil litros por ano. O concurso foi dividido em três etapas de seleção e classificação, com degustação – sem identificação das amostras – por Júri Técnico e Júri Popular. Além disso, foi realizada uma análise da história do produto, que levou em consideração o conhecimento tradicional, a contribuição para a autonomia econômica do produtor rural, a sustentabilidade ambiental e o aspecto diferencial ou original do produto.

“Somos uma família de mineiros que mora em Brasília há 20 anos. Trouxemos a tradição na fabricação da cachaça para esta cidade que tanto amamos e mostramos que o Distrito Federal tem, sim, cachaça da melhor qualidade. Mas ganhar como a melhor cachaça branca do Brasil, foi demais. A ficha não caiu até agora”, diz um orgulhoso e emocionado Cid Faria.

Serviço:
Remedincachaca.com.br
@remedincachaca
WhatsApp (61) 99993.6312

Publicidade
Publicidade