Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Nome aos bois

Rússia acusa EUA de produzir armas químicas na Ucrânia

Publicado

Foto/Imagem:
Oleg Byrunov/Via Sputniknews - Foto de Arquivo

O Ministério da Defesa da Rússia (MoD) afirmou que tem evidências de que as atividades dos EUA na Ucrânia contrariam a Convenção de Armas Biológicas (BWC).

Igor Kirillov, chefe das forças de proteção contra radiação, química e biológica do MoD russo, também disse a repórteres nesta quinta-feira, 14, que os “curadores americanos de laboratórios biológicos na Ucrânia estavam mais interessados ​​em projetos de uso duplo, muitos dos quais visam estudar agentes potenciais de armas biológicas, como a peste e a tularemia, além patógenos de infecções economicamente significativas”.

Kirillov acrescentou que projetos como P-364, 444 e 781, destinados a “estudar a propagação de patógenos de infecções perigosas por meio de insetos vetores, pássaros selvagens e morcegos, foram financiados no interesse do Departamento de Defesa dos EUA”.

Ele também disse que a inteligência russa encontrou três veículos aéreos não tripulados (UAVs) ucranianos equipados com pulverizadores químicos na região de Kherson, na Ucrânia, em março.

“Estamos preocupados com o fato de que, em 9 de março, no território da região de Kherson, unidades de reconhecimento russas descobriram três UAVs equipados com contêineres de 30 litros e equipamentos para pulverização de produtos químicos. De acordo com dados disponíveis, em janeiro de 2022, a Ucrânia comprou mais de 50 dispositivos semelhantes que podem ser usados ​​para aplicar formulações biológicas e produtos químicos tóxicos”, afirmou Kirillov.

O chefe das forças de proteção contra radiação, química e biológica do MoD russo revelou os nomes de funcionários americanos e europeus do Centro Ucraniano de Ciência e Tecnologia (STCU), que estavam envolvidos em pesquisas no interesse do programa biológico militar dos EUA.

“Vou dar os nomes dos funcionários que estiveram envolvidos na implementação de programas biológicos militares. O cargo de Diretor Executivo do STCU é ocupado pelo cidadão norte-americano Curtis Bjelajac. Nascido em 27 de agosto de 1968, na Califórnia, estudou na Universidade Anderson of Management na Califórnia […e] trabalha na Ucrânia desde 1994”, disse Kirillov.

Segundo ele, o vice-secretário de Estado-adjunto para programas de não-proliferação dos EUA, Phillip Dolliff, supervisiona em nome de Washington.

Kirillov observou que os documentos obtidos pelo MoD russo confirmam a conexão entre o STCU e o departamento militar dos EUA por meio do principal contratado do Pentágono, a empresa de engenharia Black & Veatch. O MoD tem a correspondência do vice-presidente dessa empresa, Matthew Webber, onde expressa sua disponibilidade para trabalhar com o STCU na pesquisa biológica militar em andamento na Ucrânia.

“De 2014 a 2022, o Centro de Ciência e Tecnologia da Ucrânia implementou mais de 500 projetos de pesquisa nas repúblicas pós-soviéticas”, como Ucrânia, Geórgia, Moldávia e Azerbaijão, disse o funcionário do Ministério da Defesa.

No mês passado, Kirillov enfatizou que o montante total do financiamento dos EUA para o trabalho biológico-militar realizado nos laboratórios do Ministério da Defesa ucraniano foi de US$ 32 milhões.

Por sua vez o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a Rússia exigirá explicações sobre o suposto envolvimento do filho do presidente dos EUA, Joe Biden, Hunter, no financiamento de laboratórios biológicos na Ucrânia que foram rastreados por forças russas no curso de suas forças militares especiais.

Publicidade
Publicidade