Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Sai barraco irregular, entra apê digno de morar

Ian Ferraz

Conscientizar e informar. Esta tem sido a missão da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) junto aos moradores do Sol Nascente no trabalho de remoção e relocação de famílias que residem em áreas de risco. Técnicos da Codhab realizaram esses dias uma panfletagem nas ruas para esclarecer que a derrubada de casas na região tem como objetivo a realização de obras de infraestrutura necessárias e tão aguardadas pela comunidade.

Orientaram também que construções irregulares devem ser denunciadas para a Ouvidoria do GDF, por meio do telefone 162. No momento, 65 casas precisam ser removidas imediatamente para o prosseguimento das obras de pavimentação, bem como a recuperação de canais e interruptores da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

Essas moradias foram construídas perto de ou em cima de redes de drenagem, interceptoras, áreas de preservação ambiental e córregos e corpos hídricos. Portanto, não podem permanecer no local por questões de segurança e para o avanço de obras públicas. Essas e outras informações foram transmitidas a comerciantes, trabalhadores e moradores do Sol Nascente durante a jornada de conscientização desta manhã.

Com a área desocupada, o Governo do Distrito Federal poderá regularizar a região e oferecer serviços tão aguardados pela comunidade, como pavimentação, vias e drenagem. Nessa missão, a Codhab tem trabalhado em parceria com a Defesa Civil, as secretarias de Desenvolvimento Social (Sedes) e de Obras, a Administração Regional do Sol Nascente/Pôr do Sol, a Caesb e o DF Legal.

Vale lembrar que os moradores que serão desalojados não vão ficar no prejuízo. A Codhab negocia a inclusão deles em sua política habitacional.

Ainda para este mês está prevista a transferência de famílias da região onde ocorreram as derrubadas para a Quadra 700 do Sol Nascente. Eles vão morar em apartamentos construídos pelo governo, com ampla infraestrutura e acessibilidade.

“É uma orientação do governador Ibaneis Rocha. Uma nova forma de atender às famílias mais carentes. Hoje a gente não retira as pessoas, não arranca de casa. Nós atendemos de uma forma respeitosa. Quando temos obrigatoriamente que retirar alguém de um local é porque temos outro para colocar imediatamente, seja em caráter provisório ou em caráter definitivo. Esse trabalho é importante para que elas desbloqueiem determinados locais que serão utilizados como via, para esgoto, pavimentação e outras utilidades públicas”, explica o presidente da Codhab, Wellington Luiz.

O presidente da Codhab destaca também a importância do envolvimento da população na tarefa de informar sobre invasões e construções irregulares. “As invasões acabam atrapalhando o processo de regularização e até de infraestrutura. Então, uma participação mais efetiva dos moradores faz com que eles caminhem lado a lado com o estado e as obras de infraestrutura ocorram de forma mais rápida”, ponderou.

A argumentação é compartilhada por Maria Helena dos Santos Lopes, moradora do Sol Nascente. “Estou feliz que temos moradia. E que daqui poderemos ir para um lugar melhor e conseguir a nossa casa própria”, comemorou.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente