Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Se a rua é estreita e tem lixo, vai ser tudo limpo

Emanuelle Coelho

As residências do Sol Nascente e Pôr do Sol localizadas em áreas já pavimentadas passaram a receber, a partir desta terça-feira (12), o serviço de coleta de lixo, “na porta de casa”. O Governo do Distrito Federal adquiriu três caminhões menores, de 6 metros cúbicos, para a realização do serviço. Os novos veículos têm um terço do tamanho dos caminhões maiores, que têm 19 metros cúbicos.

O que acontecia é que, como muitas ruas da região são estreitas, os veículos não conseguiam fazer a coleta. Muitos moradores, por exemplo, percorriam até um quilômetro para levar o lixo nos papa-lixo ou até a avenida mais próxima.

Agora, como os novos modelos são menores, eles conseguem entrar nas ruas mais estreitas. O serviço levará mais conforto e dignidade para os cerca de 120 mil moradores da localidade, como Laudeci Alves de Souza, 50 anos, que acompanhou o primeiro dia de trabalho dos novos equipamentos, no Sol Nascente. “Era um sofrimento muito grande para nós. A coleta de lixo era complicada aqui. Tínhamos que sair de casa e levar o lixo para a avenida. Agora, vejo carros novinhos e bonitinhos entrando em nossas ruas. Estou muito satisfeita”, afirmou.

A auxiliar de serviços gerais Aidê Pereira da Silva, 51 anos, conta que, em dias de chuva, a situação era ainda pior. “Às vezes quando saíamos para levar o lixo o caminhão já havia passado. Agora vai melhorar bastante porque ele será recolhido na porta das casas, não vamos mais nos preocupar com a chuva. É só colocar o lixo na porta e pronto. Quando vi os novos caminhões e fiquei sabendo da novidade gostei bastante”, confessou.

Trabalho experimental
O trabalho ainda é experimental. A ideia é que mais dois veículos sejam adquiridos para reforçar os serviços. Segundo o diretor-presidente do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU), Felix Palazzo, a intenção é levar dignidade e cidadania aos moradores do Sol Nascente e Pôr do Sol. “Tivemos a felicidade de pensar nessas localidades que possuem ruas mais estreitas. É uma forma de coleta mais eficiente na porta da casa das pessoas, levando mais conforto para elas”, explicou.

O administrador regional do Sol Nascente e Pôr do Sol, Goudim Carneiro, lembra que a região foi construída sem projetos devido à ausência do Estado na época. “Isso trouxe uma situação diferente. Criaram-se regiões diferentes. Agora, tivemos a sensibilidade do governo para que houvesse também um tratamento diferente. Isso traz mais condição de vida para as pessoas”, disse.

Nas duas regiões são recolhidos, diariamente, 50 mil toneladas de lixo nos caminhões e mais 22 mil toneladas nos 66 Papa Lixo distribuídos pelas duas regiões. Para os trabalhos são utilizados dois caminhões truck, três caminhões minicompactadores e três caminhões munck.

Papa Lixo
O Papa Lixo é um contêiner semienterrado, com capacidade de 5 metros cúbicos (equivalente a uma caçamba), que permite o armazenamento dos resíduos de forma segura e limpa, minimizando os riscos de proliferação de vetores de doenças na região. O equipamento foi idealizado para atender a demanda da população que reside em locais de difícil acesso dos caminhões de coleta.

O objetivo dos Papa Lixos, além de universalizar a coleta de resíduos, é sensibilizar e orientar a população para a colaboração com a limpeza urbana.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente