Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Trump acena com um Irã próspero, mas sem bombas

Bartô Granja

No que depender dos Estados Unidos, o episódio da morte do general Qassem Soloeimai e a retaliação do Irã, com ataques a bases americanas no Iraque, está superado. Foi o que disse nesta quarta, 8, o presidente Donald Trump.

Em pronunciamento ao vivo na Casa Branca, rodeado por um grupo de generais, Trump desejou ver um Irã próspero e em paz, mas condicionou isso a que o país do Oriente Médio abandone definitivamente seu programa nuclear.

Segundo Trump, os próprios dirigentes iranianos parecem estar recuando em suas ameaças de vingança. Mas, apesar de acenar com clima pacifico, o presidente norte-americano deixou claro que serão impostas mais sanções ao Irã.

Insistindo em que não permitirá que iranianos construam armas atômicas, Trump sustentou que nenhum americano ou iraquiano morreu durante os ataques de mísseis iranianos de terça-feira (7) e os danos foram “mínimos”. Ele advertiu que se o Irã insistir em um confronto, as forças dos EUA estão “preparadas para tudo”.

Em seu pronunciamento, Trump pediu que os países que ainda estão no acordo nuclear (Alemanha, China, Reino Unido, Rússia e França) devem abandoná-lo, para forçar o Irã a desistir de uma corrida armamentista.

Segundo Trump, o Irã é o principal patrocinador de terrorismo no mundo, e a busca por armas nucleares ameaça o mundo civilizado. “Nunca deixaremos isso acontecer”. El disse, por fim, que vai pedir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para ter um papel mais ativo no Oriente Médio.

Paz e amor – Mesmo que não tenha prometido explicitamente qualquer ação contra Teerã, além das sanções contra o ataque com mísseis em 7 de janeiro, Trump enfatizou a modernização que as forças armadas americanas sofreram sob sua presidência. Gabou-se, a propósito, de que as Forças Armadas americanas têm mísseis “grandes e precisos”, mas acrescentou que espera não usá-los contra o Irã.

“O fato de termos este excelente equipamento militar não significa que precisamos usá-lo. Não queremos usá-lo. A força americana, militar e econômica, é o melhor impedimento”, afirmou. Em vez disso, Trump sugeriu chegar a um novo acordo com o Irã que tornaria “o mundo um lugar mais seguro e mais pacífico”, beneficiando ao mesmo tempo a própria República Islâmica.

“Queremos que vocês tenham um futuro e um grande futuro – um que vocês merecem. Um de prosperidade em casa e harmonia com as nações do mundo. Os EUA estão prontos para abraçar a paz com todos que a procuram”, disse Trump.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente