Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Redenção, o caminho

Veneziano assina Carta de João Pessoa por uma Paraíba melhor

Publicado

Foto/Imagem:
Damião Rodrigues, Clarisse Oliveira e Rebeca Neto/Via CMJP - Foto Divulgação

Na primeira rodada de entrevistas do programa “Conexão Eleitoral”, a Câmara Municipal de João Pessoa, recebeu o candidato Veneziano Vital do Rêgo, do MDB, que respondeu a perguntas da população, dos vereadores e de jornalistas. Os temas abordados na sabatina foram educação, saúde, infraestrutura, gestão financeira, meio ambiente, projetos estruturantes, emprego e renda e cultura.

No primeiro bloco, discutiram-se temas como: gestão financeira, projetos estruturantes, saúde, emprego e renda e infraestrutura. Dando início, o cidadão Guilherme Baía falou que, embora a infraestrutura da estrada para Campina Grande seja boa, a Paraíba tem uma carga tributária que dificultaria o interesse de empreendedores investirem.

Exemplificando temas que merecem atenção quanto a isso, Veneziano citou, na produção da indústria turística: a zona de processamento mineral no Seridó, a agroindustrialização de produtos agrícolas em Souza, um polo calçadista para Campina Grande ou um polo de comercialização e fabricação têxtil para a região de São Bento.

Acerca dos projetos estruturantes, dando continuidade, Paula Ismael comentou que a Paraíba conta com 14 municípios tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) e que em outros municípios há bens culturais também reconhecidos pelo instituto. No entanto, relatou haver um quadro de funcionários reduzido e orçamento limitado. Diante disso, indagou qual seria a proposta para melhorar institucionalmente o Iphaep.

O candidato, que tem o apoio de Lula ao governo paraibano, apresentou como solução a realização de concursos públicos e a valorização dos servidores: “Vamos realizar concursos públicos. Isso não significa inchar a máquina administrativamente e, por consequência, também ampliar custos. Não há como conceber que órgão tão importante, responsável pela fiscalização dos nossos patrimônios, não tenha o número necessário de funcionários”. Ele explicou que isso ainda resolveria o caso de funcionários que estão prestes a se aposentar, mas que ainda não o fizeram porque não houve concurso.

Falando sobre saúde, Wanderley Soares afirmou que, durante a pandemia, muito se falou sobre higienização e limpeza dos ônibus por causa do Coronavírus. Ele questionou como isso se daria agora, com o retorno das atividades escolares, tendo em vista que por vezes podem-se encontrar no transporte insetos e sujeira.

O candidato explicou que o transporte público municipal é de maior responsabilidade do Poder Público Municipal: “Nós, enquanto condutores de uma administração estadual, também nos ateremos a acompanhar aquilo que diz respeito a transportes públicos intermunicipais”. Ele destacou, ainda: “O nosso compromisso é de fazer uma saúde ágil, dinâmica e descentralizada. Observamos, durante os últimos três anos e meio, uma gestão que não se preocupou em garantir essa descentralização. Universalizar os serviços da área de saúde”. Veneziano mencionou a construção do hospital de trauma da região do sertão da Paraíba, a criação de policlínicas com a inserção de serviços de telessaúde, além de centros diagnósticos de imagem como intenções.

Quanto a emprego e renda, Deomedes Fernandes perguntou quais seriam as metas para o primeiro emprego do jovem, na Paraíba. O candidato associou sua resposta ao que disse na indagação acerca da gestão financeira. Ele afirmou que na sua carta-programa, consta o compromisso de, no início da gestão, garantir pelo menos 30 mil novos empreendimentos em linhas que beneficiem mulheres, idosos e primeiro emprego.

“Nós temos que investir nos três setores. A agropecuária responde por um quinhão considerável, mas foi esquecida e marginalizada; a zona de processamento mineral para exportação na região do Seridó; o centro de produção e comercialização têxtil na região de São Bento; nós poderemos, sim, ter o centro de comercialização e produção calçadista em Campina Grande; a indústria turística, que tem na sua cadeia mais de 50 atividades. Quantos milhares de empregos não poderiam estar sendo gerados? Investir, também, na formação dos nossos alunos egressos do ensino médio, período em que podem ter parceria com empresas, uma bolsa que ofereceremos, por um período de quatro meses, garantindo condição e capacitação para uma inserção futura no mercado de trabalho”.

Guilherme Baía afirmou que a malha viária na Paraíba é boa, mas que se tivéssemos desenvolvido trens para levar os alimentos da capital ao interior, eles chegariam de R$ 0,40 a R$ 1,00 por quilograma mais barato, dependendo do alimento. Ele indagou, então, o que pode ser feito para haver mais incentivo em nível estadual para um melhor acesso quanto à malha ferroviária na Paraíba.

“O marco regulatório das ferrovias, que foi recentemente aprovado no Senado e na Câmara Federal, permitirá investimentos e parcerias público-privadas. Há um processo necessário de reestruturação nessa malha, que tanto nos servirá como transporte mais barato e seguro, como economicamente, permitindo que o custo das nossas produções se dê com valores menores. Buscar essas parcerias para a reestruturação da malha ferroviária instalada no nosso território será, sim, uma das nossas tarefas”, afirmou Veneziano. Ele acrescentou: “Temos observado que há uma ausência, uma negligência, quando o DER [Departamento de estradas e rodagens do Estado da Paraíba], por não ser descentralizado acaba deixando estradas completamente abandonadas e esburacadas, o que é prejudicial a todos, desde o setor da economia aos próprios cidadãos que se deslocam. Esse processo de descentralização do DER será uma das nossas iniciativas. Tenho, com o presidente Lula, firmado uma parceria e um dos projetos que serão apresentados é o de dar sequenciamento à BR-230 com sua duplicação”.

Perguntas de vereadores
No segundo bloco, o candidato Veneziano Vital do Rêgo respondeu a perguntas de vereadores da Casa sobre gestão financeira, projetos estruturantes, saúde, educação e cultura. Em resposta ao vereador Luis da Padaria (PMB) referente às propostas do candidato para microempreendedores e comerciantes de nossa cidade, Veneziano respondeu que vai abrir linhas de financiamentos, colocando o Estado como garantidor, financiando a juros menores que 1% e com um prazo de carência de quatro a cinco meses, para que o investidor possa se estabelecer e pagar as obrigações financeiras.

Respondendo às perguntas dos vereadores Bruno Farias (Cidadania) e Thiago Lucena (PRTB) sobre projetos estruturantes de mobilidade urbana, o candidato respondeu que vai cumprir duas promessas que o atual governador não conseguiu cumprir: a construção do Arco Metropolitano e a ligação do bairro do Cristo Redentor ao de Água Fria. Veneziano salientou que vai fazer também a interligação de Cabedelo a Lucena, com intuito de investir no turismo do Litoral Norte. “Essa interligação é possível fazer, não é investimento de outro mundo. E creio que com a presença do presidente Lula que tem essa visão mais ampliada haverá de ter a sensibilidade quando recorrermos a ele para esse investimento”, declarou, ressaltando as parcerias que realizará com o Governo Federal.

Sobre a Saúde, Veneziano Vital respondeu ao vereador Emano Santos (PV) que vai fazer uma saúde descentralizada, com centros de diagnósticos por imagem nas regiões e fortalecer a saúde por meio de convênios com as prefeituras. “Vamos fazer uma gestão que descentralize e desconcentre a saúde, levando-a de forma qualificada a toda população paraibana, e aí a menção aos tratamentos oncológicos que são indispensáveis”, frisou.

Respondendo à pergunta do vereador Júnio Leandro (PDT) sobre Educação, Veneziano afirmou que é uma área esquecida pela atual gestão. Ele afirmou que vai trabalhar em um processo de recomposição às perdas ocasionadas pela pandemia de Covid-19, além da valorização dos professores. “Fazer concurso público, estabelecer um calendário de pagamento dentro do mês trabalhado, fazer processo permanente de capacitação e de qualificação com nossos gestores, realizar a gestão democrática, por meio das escolhas por parte da própria comunidade estudantil serão alguns dos nossos compromissos”, destacou.

Sobre Cultura, o candidato respondeu à pergunta do vereador Emano Santos enfatizando que vai fazer processo de gestão democratizada, com a participação da população e com investimento em todas as formas de cultura. Veneziano destacou que vai criar pontos de cultura e estabelecer parcerias com escolas para a utilização dos espaços, além do circuito de cultura na Paraíba. “Muitas vezes não conhecemos o que é produzido culturalmente por outras regiões, exatamente por que falta essa interligação. E o circuito de cultura vai ser o meio e o instrumento para que aproximemos o nosso Estado”, complementou.

Vez dos jornalistas
Veneziano Vital do Rêgo também respondeu perguntas de três jornalistas convidados pela CMJP. A jornalista Sony Lacerda fez a primeira pergunta do bloco indagando que projeto está destinado a alavancar a economia de base após as perdas causadas pela pandemia do novo coronavírus. Veneziano enfatizou que a recomposição das perdas deverá acontecer de forma lenta e gradual e garantiu que vai investir na Agência Empreender para fomentar oportunidade de emprego e renda no estado.

Já a jornalista Angélica Nunes perguntou sobre a visão do candidato sobre a última colocação nas intenções de votos divulgada em pesquisa do IPEC e por que sua candidatura não se efetivou mesmo depois do início da campanha eleitoral e do guia eleitoral. “Discordo. Não vejo dessa forma. Em pesquisas próprias vemos que temos avançado e sinto através do contato com o povo que existe identificação com nosso programa de governo. Essa pesquisa foi realizada antes do início do guia eleitoral”, asseverou o postulante a governador da Paraíba.

Outra pergunta foi feita pelo jornalista Rubens Nóbrega que quis saber sobre qual o projeto será realizado para combater a pobreza e a fome na Paraíba. O candidato defendeu investimentos para geração de emprego e renda, a implantação do ‘Programa Paraíba Sem Fome’ com atenção aos restaurantes populares e cozinhas comunitárias e a ampliação do Cartão Alimentação para permitir a compra de alimentos nos “mercadinhos” dos bairros. Além de garantir a merenda escolar de janeiro a janeiro na rede estadual de ensino.

O candidato ainda assegurou que vai realizar obras de duplicação da BR 230 até a cidade de Cajazeiras, de continuação da transposição do Rio São Francisco no interior do estado, o Arco Metropolitano da Capital e a construção do Hospital de Trauma no Sertão. Ele ainda prometeu buscar recursos para recompor as perdas com a diminuição da alíquota do ICMS nos estados e ressaltou que o repasse do duodécimo segue a legislação estabelecida e assim vai permanecer. Ainda destacou que realizou muitas obras durante sua gestão como prefeito de Campina Grande. “Acomodação não faz parte da minha história. Estou estimulado da mesma forma como estive na gestão em Campina Grande. Estamos prontos para mudar nosso estado e o Brasil com a parceria com o presidente Lula”, finalizou.

Publicidade
Publicidade