Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Passando a limpo

Vítima de fake news, Telesca rebate ação criminosa

Publicado

Foto/Imagem:
Pontes de Miranda Neto II - Foto de Arquivo

Redes sociais e grupos de WhatsApp foram invadidos nos últimos dias por uma polêmica: racismo. Alvo de ataques, o advogado Max Telesca recrimina a propagação de fake news envolvendo seu nome. E garante não existir denúncia de racismo contra ele.

É verdade. Este escriba apurou o que vem acontecendo. A conclusão é a de que Max Telesca é citado em uma petição anônima a partir de falsificações. As supostas denúncias seriam orquestradas por desafetos. E ao contrário do que se diz, Telesca tem, sim, promovido ações que combatem o racismo.

A petição anônima a que tivemos acesso reproduz uma notícia distorcida, propalada em maio de 2021 em rede social, a partir de uma mensagem ideologicamente falsa que teria saído do celular de Max Telesca.

O caso – foi o que apurou-se – foi investigado nos últimos meses. Identificado, embora com o nome mantido sob reserva, o autor teria admitido as fake news. Agora as investigações, inclusive periciais, se voltam para os demais integrantes do grupo. Os fatos são graves; consequentemente, seus autores, comprovado o crime, devem responder criminalmente.

Vale recordar que Telesca foi o autor de campanha inclusiva em seu escritório, tendo aberto vaga de estagiário para negros. Porém, um grupo, supostamente desavisado, preferiu partir para ofensas racistas. O ato em si provocou a  abertura de inquérito na Decrin, que apura eventual crime de racismo.

Também na área do Direito, as peças do xadrez, mesmo que movidas estrategicamente, esbarram em torres inabaláveis. No caso em questão, não tem como apostar no Gambito da Rainha. Como Max Telesca é conhecido por militar em causas sociais e inclusivas, está acima de qualquer gesto de intimidação. Muito menos por prática de racismo.

Publicidade
Publicidade