Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Fórmula 1

Verstappen atropela Le Clerc no início e vence outra

Publicado

Foto/Imagem:
Antônio Albuquerque, Edição - Foto Divulgação/FIA

Deu o holandês de novo e o atual campeão da Fórmula 1, Max Verstappen, venceu a edição inaugural do GP de Miami, disputado no final da tarde deste domingo. O holândes da Red Bull largou em terceiro lugar, deixou Carlos Sainz para trás na largada e tomou a liderança de Charles Leclerc na volta 9. A partir daí, não deu chances para os ferraristas e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.

Leclerc foi o segundo e Sainz o terceiro. Sergio Pérez, parceiro de Leclerc na Red Bull, brigou bem pelo terceiro lugar, mas acabou em quarto, seguido por George Russell e Lewis Hamilton, em quinto e quarto lugar, respectivamente. Após o 13º lugar em Ímola, Hamilton teve uma melhora de desempenho, como prometido pela Mercedes, apesar de ter ficado atrás do companheiro. O top 10 ainda teve Valtteri Bottas, Esteban Ocon, que largou em último, Fernando Alonso e Alexander Albon.

A vitória deste domingo foi a terceira de Max Verstappen na temporada e a segunda seguida, depois de vencer o GP da Emília-Romagna há duas semanas. As duas provas que não venceu foram aquelas nas quais teve problemas e precisou abandonar, na Austrália e no Bahrein.

Os abandonos custaram pontos importantes na briga com Leclerc no Mundial de Pilotos, mas a nova vitória diminui a distância entre os dois. O monegasco da Ferrari continua em primeiro, com 104 pontos, só que agora 19 pontos à frente do atual campeão, dono de 85. Antes, a diferença era de 27 pontos.

Terceiro colocado do grid, Verstappen fez uma excelente largada, atacou na reta e tomou a vice-liderança de Sainz, enquanto Leclerc disparava na ponta. Já Lewis Hamilton, que saiu do sexto lugar, foi ultrapassado por Fernando Alonso e Pierre Gasly, caindo para o oitavo lugar. Para a angústia da Mercedes, George Russell também foi mal no início e saiu da 12ª posição para a 15ª.

Conforme o esperado, o protagonismo da prova foi da rivalidade entre Ferrari e Red Bull, mas algumas disputas interessantes ocorreram um pouco para trás. A dupla da Mercedes, inclusive, conseguiu reagir e recuperar posições aos poucos, tanto que Hamilton já estava em sexto novamente na volta 10.

Lá na frente, Leclerc corria contra Verstappen e também contra seu “excesso de ambição”, como ele mesmo disse após a corrida em Ímola, quando forçou demais e rodou tentando passar o holandês. Desta vez, contudo, as posições estavam invertidas: o monegasco precisava suportar os ataques do atual campeão, missão que não conseguiu completar.

Logo na volta 9, Verstappen colocou de lado e fez uma bela manobra com a asa móvel aberta, na curva 1, para ultrapassar Leclerc. Assim, foi remontando o cenário da prova passada e a situação complicada para o monegasco da Ferrari, desafiado a mostrar uma melhor maneira de lidar com os momentos em que seu principal rival está à frente.

A disputa dentro do top 3 não teve grandes alterações até a parte final da corrida. Já as posições intermediárias tiveram algumas trocas após bons duelos. Hamilton brigou por um tempo com seu ex-companheiro Valtteri Bottas e com o atual parceiro George Russell, de quem terminou atrás.

Na volta 41, o safety car entrou na pista por causa de um acidente com Lando Norris após toque de Pierre Gasly. O carro de segurança voltou ao pit lane na volta 47, a dez voltas do fim, momento a partir do qual a disputa entre Verstappen e Leclerc ganhou alguns ares de emoção, com o holandês se defendendo bem.

Houve também um duelo entre Pérez e Sainz, vencido pelo espanhol da Ferrari. Na disputa pela ponta, contudo, a Red Bull ganhou, já que Verstappen não deu chances para Leclerc e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.

Publicidade
Publicidade