Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mulher

Acabou a gravidez? Que tal agora acabar com as estrias?

Foto/Divulgação
Carolina Paiva, Edição

Durante e após a gravidez é comum que apareçam estrias no corpo da mulher. Isso acontece porque a gestação provoca uma distenção da pele, gerando uma ruptura de fibras colágenas e elásticas. Esse esticamento da pele geralmente ocorre em alguns lugares do corpo feminino como barriga e seios.

As estrias também podem aparecer nos culotes, na região dos glúteos e na raiz das coxas. Além disso, o ganho de peso e a genética podem contribuir para o aparecimento delas. Mesmo sendo um problema comum, as estriam incomodam muito e são uma das principais queixas estéticas de novas mamães.

Karina Muriano, especialista em cosmecêuticos, explica que os cuidados com o corpo para evitar as estrias devem começar ainda durante a gestação. “Sempre com auxílio de um profissional, é possível prevenir o aparecimento das estrias durante a gravidez. É recomendada a utilização de cremes e óleos hidratantes, ter uma boa alimentação e controlar o peso”, explica.

Há diferenetes produtos no mercado de estética corporal para auxiliar na prevenção de estrias de forma totalmente segura, mesmo quando utilizados durante o período de gestação e amamentação. E caso a mamãe ou o bebê apresentem alguma reação indesejada, a orientação é que o uso de algum desses produtos seja descontinuado, como qualquer outro tratamento.

Após a gestação e amamentação, se as estrias aparecerem, é possível fazer tratamentos estéticos que ajudam a resolver o problema. Há tratamentos inovadores e revolucionários que apresentam resultados significativos.

Em alguns casos, segundo Karina, o tratamento pode proporcionar uma melhora de até 80% na aparência das estrias brancas já na primeira sessão. Ela revela há métodos não invasivo e não-cirúrgicos. Na maioria dos casos o tratamento combina so de um aparelho a vácuo e cosmecêuticos que trabalham a vascularização da região afetada, estimulando a regeneração das fibras de colágeno.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente