Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Nova pesquisa

Ácaro que todo mundo teme é fofo e protege todos nós

Publicado

Foto/Imagem:
James Tweeder/Via Sputniknews - Foto Divulgação

Parasitas microscópicos vivem nos folículos capilares do seu rosto – e rastejam à noite para esbarrar uns nos outros enquanto você dorme. É o que indica uma nova pesquisa publicada pela revista Molecular Biology and Evolution, sugerindo que os ácaros podem ser extintos em breve à medida que seu código genético “erode” – mas os cientistas dizem que isso não é uma coisa boa.

A coautora do estudo, Alejandra Perotti, da Universidade de Reading, disse que os ácaros Demodex folicularum vivem em simbiose benéfica conosco logo após o nascimento, quando são transmitidos de nossas mães durante a amamentação.

“Devemos amá-los porque são os únicos animais que vivem em nossos corpos a vida inteira e devemos apreciá-los porque limpam nossos poros”, diz Perotti. “Além disso, eles são fofos”, acrescenta.

Demodex folicularum tem o menor número de genes funcionais de qualquer artrópode – o termo biológico para todos os rastejantes articulados, incluindo crustáceos, insetos e aracnídeos.

Os ácaros perderam o gene que regula o sono e a vigília, confiando em mudanças nos níveis de melatonina do hospedeiro secretados pela pele. Eles também perderam a proteção contra a luz ultravioleta, já que os únicos saem de nossos poros à noite para se reproduzir, enquanto os músculos das pernas se atrofiaram em uma única célula.

Os autores do artigo argumentam que as mudanças transformaram os ácaros em simbiontes em vez de parasitas como mosquitos ou pulgas, que podem facilmente pular de um animal para outro. E eles temem que a perda da diversidade genética nas microbestas possa condená-las à extinção , pois fica mais difícil para elas encontrar parceiros.

Publicidade
Publicidade