Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Alemanha estende lockdown até final de janeiro

Andreas Rinke e Kirsti Knolle - Reuters/Via ABr

O governo da Alemanha e os 16 Estados do país concordaram em ampliar o lockdown até 31 de janeiro para conter a disseminação da Covid-19, informou o Bild nesta segunda-feira sem citar a fonte da informação.

A Alemanha teve mais sucesso que qualquer outro país europeu em manter o coronavírus sob controle na primeira onda da pandemia durante a primavera do Hemisfério Norte, mas isso mudou na segunda onda.

O país impôs um segundo lockdown duro em 16 de dezembro, fechando escolas, lojas e restaurantes depois que um lockdown parcial imposto em novembro não trouxe a redução esperada nas novas infecções.

O número de casos confirmados de coronavírus na Alemanha aumentou em 9.847, para 1.775.513 em um dia, mostraram dados do Instituto Robert Koch para doenças infecciosas (RKI) nesta segunda.

As mortes relatadas em decorrência da doença aumentaram em 302, para 34.574. A Alemanha teve em média 140 novas infecções por 100 mil habitantes nos últimos sete dias.

A chanceler Angela Merkel e os primeiros-ministros dos Estados devem discutir na terça-feira a ampliação das medidas restritivas para além do prazo de 10 de janeiro.

“Todos os Estados, exceto dois, apoiam (uma ampliação do lockdown até) 31 de janeiro”, disse uma fonte do governo à Reuters. “No entanto, uma decisão formal será tomada na terça-feira.”

Assim como os outros países da União Europeia, a Alemanha começou a vacinar sua população contra a Covid-19 no dia 27 de dezembro, mas o progresso tem sido lento.

De acordo com o RKI, somente 238.809 pessoas de uma população de 83 milhões receberam a primeira dose da vacina até domingo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente