Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Santa Maria

Alunos do CEF 308 aprendem a cozinhar e a empreender

Publicado

Foto/Imagem:
Lúcio Flávio e Lívia Braz/Via Agência Brasília - Foto Lúcio Bernardo Jr

Uma iniciativa de abrir o apetite. Assim é o projeto de culinária do Centro de Ensino Fundamental 308 de Santa Maria, que desde 2012 vem estimulando alunos não apenas a cozinhar – com a garotada colocando, literalmente, a mão na massa -, mas também a ter noções de empreendedorismo e a não desperdiçar alimentos.

Atualmente, 170 alunos do terceiro ao nono ano da escola participam das atividades, que vão desde o preparo de biscoitos, bolos, doces e salgados a receitas exóticas e saborosas, como farofas de talos de verduras e de casca de banana, além de deliciosa geleia de morango levemente apimentada.

“O projeto nasceu quando percebemos a dificuldade que os alunos tinham para comer, de ter algo diferente, que chamasse a atenção dos alunos”, conta a diretora da instituição, Ana Márcia Ribeiro Sales.

“Então surgiu a ideia de fazer essas receitas feitas a partir de sobras de alimentos da cantina da escola. Ao invés de desperdiçar, utilizamos tudo para um bem comum, aproveitando na produção de tortas, doces, sobremesas após o lanche”, diz.

Mais de 3 mil estudantes da escola já passaram pelo projeto, que conta com o apoio da Regional de Ensino de Santa Maria. O aluno não precisa levar nada de casa para participar da lúdica oficina de culinária. As doações dos ingredientes e materiais são feitas pelos próprios professores e coordenadores de ensino, mas o público externo também pode colaborar.

A professora Ioni Pereira Coelho de Oliveira é a coordenadora da educação integral do CEF 308 de Santa Maria
A responsável direta por ensinar os meninos e meninas a preparar as receitas e a dividir o pão com colegas, professores e pais é Ioni Pereira Coelho de Oliveira, professora de atividades e coordenadora de educação integral do CEF 308 de Santa Maria.

Mineira da Serra do Salitre há quase 30 anos morando em Luziânia, ela uniu em um mesmo cardápio o talento de cozinhar quitutes de dar água na boca com a vocação de ensinar. Não foi fácil, mas hoje o aroma e o tempero de suas ideias e ensinamentos têm conquistado alunos e pais, servindo de referência para outras escolas.

Tanto que, no próximo dia 26, das 8h às 11h30, a professora vai compartilhar sua experiência nutritiva – incluindo sua especialidade, o bolo da felicidade – com outros profissionais de escolas integral, durante evento na Regional de Ensino de Santa Maria.

Publicidade
Publicidade